Política Costa explica oposição do PSD na TSU com "ciúme"

Costa explica oposição do PSD na TSU com "ciúme"

"Não suportam agora que o país esteja numa situação descrispada, de diálogo social, de respeito recíproco, numa total normalidade," afirmou o primeiro-ministro, referindo-se aos sociais-democratas.
Costa explica oposição do PSD na TSU com "ciúme"
Bruno Simão/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 17 de janeiro de 2017 às 17:44

O primeiro-ministro acusa o PSD de ter mudado de posição em relação à descida da Taxa Social Única (TSU) motivado pelo "ciúme" face ao desempenho da economia do país e por "não suportar" que o país esteja a viver em "total normalidade".

"O que explica esta cambalhota do PSD é o ciúme. O PSD falhou no Governo e agora falha na oposição," afirmou, recuperando uma expressão que tinha sido usada minutos antes pelo líder parlamentar dos socialistas, Carlos César, na sua intervenção no Parlamento.

Nas declarações que encerraram o debate quinzenal desta terça-feira, 17 de Janeiro, Costa argumentou que os sociais-democratas sempre auguraram que a recuperação não se realizaria, que Bruxelas não viabilizaria o Orçamento do Estado e o Programa de Estabilidade e Crescimento e que era "aritmeticamente impossível" cumprir um défice abaixo dos 2,5%.

"Não suportam agora que o país esteja numa situação descrispada, de diálogo social, de respeito recíproco, numa total normalidade. Que o Tribunal Constitucional esteja em sossego porque durante um ano inteiro não houve um único pedido de fiscalização da constitucionalidade. É isto que o PSD não suporta", afirmou António Costa, usando a mesma expressão – "descrispado" – que o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa tem utilizado para definir o actual ambiente social no país.

O primeiro-ministro desafiou mesmo o líder social-democrata, Pedro Passos Coelho, a cumprir a promessa feita em Março do ano passado, de votar no PS, BE e PCP se a estratégia económica do PS funcionasse. "Felizmente não há eleições antecipadas, porque se não o senhor deputado Pedro Passos Coelho teria de cumprir a sua promessa e votar no PS, vir aqui honrar a palavra dada," afirmou.

Sobre a intenção de o PSD votar contra o decreto-lei que condiciona o aumento do salário mínimo à descida da TSU para os patrões, Costa acusou Passos de "vingança para com os parceiros sociais" por, mesmo havendo acordo na concertação, o líder social-democrata "lavar as mãos".

"Há um ano era contra o aumento do salário mínimo nacional, ia dar cabo das empresas da economia, do emprego. Agora, finge que o problema não é o salário mínimo nacional, mas a descida da TSU," acusou.

E sugeriu que, se continuar a acompanhar as posições do PCP e do BE no Parlamento – como deverá fazer no chumbo ao decreto-lei – e a tentar "criar um problema na maioria", o PSD arrisca-se a viabilizar "uma moção para que Portugal saia da NATO ou inicie uma reestruturação da dívida," bandeiras daqueles dois partidos da esquerda.




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 17.01.2017

Estás à rasca Costinha "O Humorista"? Aguenta e não chora.
Não vamos falar de falta de coerência na vida política porque quase todos mal na fotografia (talvez se safasse o PCP), com o PS na primeira fila em grande destaque.
Meter a saída da Nato ou a reestruturação da dívida neste discurso é mais uma piada do nosso Humorista de serviço... desculpem, queria dizer Primeiro Ministro. Se querias a muleta da direita ao menos conversavas com esses partidos antes de te meteres nesta aventura, negociavas como gostas tanto de fazer. Confiaste na boa vontade da direita e agora quem paga são os empresários e o país.

comentários mais recentes
Ai, Costa, que labrego és! 17.01.2017

O tição Costa esqueceu-se q o PSD é o 1º partido nacional, pelo menos durante esta legislatura e nunca se viu um governo formado pelo 2º partido a exigir o acordo do primeiro, é preciso ter lata e desfaçatez. Oh, Costa vai dar música ao caaralho! Não tens vergonha nessas fuuças escuras e cínicas!

Sim, sim. 17.01.2017

Este costa e a sua pandilha devem viver na tal ilha das vacas felizes. Tão longe de Portugal, que nem se apercebem do que se passa mesmo ao seu lado!

Pedra do Guilhim 17.01.2017

Este Costa é uma anedota. Quer estar de bem com Deus e com o Diabo. Naturalmente, não é possível. Uma anedota de PM.

Judas Priest 17.01.2017

Ó Costa, come lá o teu queijinho com os teus amigos canhotos e deixa os outros em paz.

ver mais comentários
pub