Finanças Públicas Costa garante que défice de 2016 não ultrapassa os 2,3%

Costa garante que défice de 2016 não ultrapassa os 2,3%

O primeiro-ministro anunciou esta tarde, na abertura do primeiro debate quinzenal do ano, que o défice de 2016 "não será superior a 2,3%. Uma marca abaixo dos 2,4% com que o Governo se comprometeu no Orçamento do Estado deste ano.
A carregar o vídeo ...
Bruno Simões 17 de janeiro de 2017 às 15:19

O défice de 2016 não será superior a 2,3%, anunciou esta tarde António Costa, na abertura do primeiro debate quinzenal do ano. O primeiro-ministro lembra que "durante meses a fio perguntaram pelo plano B e aguardaram pelo diabo", mas "pelos números de que dispomos, posso hoje garantir que défice de 2016 não será superior a 2,3%". Um valor que fica assim "confortavelmente abaixo do limite fixado pela Comissão Europeia".

 

O Governo previa um défice de 2,4% no Orçamento do Estado para este ano, abaixo da meta de 2,5% traçada por Bruxelas. Este é o valor em contabilidade nacional.

"Sem recorrer a orçamentos rectificativos ou medidas adicionais", Costa garantiu ter cumprido os compromissos. "Sim, havia alternativa e alcançamos os resultados".

 

Costa aproveitou este resultado para criticar o Governo de Passos Coelho. "PSD e CDS erraram na aritmética e na politica. Em quatro anos e oito orçamentos rectificativos, nem por uma vez cumpriram os seus objectivos e deixaram-nos longe de poder sair do Procedimento dos Défices Excessivos [PDE]". "Erraram quando repetiram que não havia alternativa", acrescentou.

 

"O que um défice não superior a 2,3% prova é que o anterior Governo, cortando pensões, salários e aumentando impostos falhou todas as metas do défice em todos os anos e todos os Orçamentos Rectificativos que apresentou". Já o actual, "devolvendo pensões, salários, apoios sociais e reduzindo a carga fiscal, apresenta o défice mais baixo da democracia e retira o país do PDE".

Afinal havia outra... alternativa de Governo

Costa aproveitou para apresentar outros resultados que considera positivos. A taxa de desemprego "foi em Outubro de 10,6%, quando era de 12,4% um ano antes". "Esta evolução positiva não ocorre apenas no número de portugueses que estão desempregados, menos 69 mil pessoas que há um ano, mas verifica-se também na criação líquida de emprego, temos hj mais 86 mil pessoas [empregadas] do que há um ano".

Em suma, os "números provam que 2016 foi um ano de viragem" e são a "confirmação de que não só havia alterantiva de Governo mas também de políticas", nas "contas públicas, emprego e confiança das famílias".

Para 2017, Costa promete prosseguir "este caminho com um Orçamento que volta a apostar na melhoria do rendimento das famílias", em particular com a "eliminação da sobretaxa de IRS". Costa prometeu ainda que até final do ano o Governo vai canalizar "mil milhões de euros para investir nas empresas". Isto depois de em 2016, anunciou, terem sido canalizados já 460 milhões de euros.


Notícia actualizada com mais informação às 16:33




A sua opinião29
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 17.01.2017


COSTA LADRÃO, EM AÇÃO (sempre a roubar os trabalhadores do privado).


As Gorduras & Mordomias do Estado são, na sua maioria, os salários e pensões da FP.

Valor anual das pensões e salários da FP = 30 000 milhões de euros.


TOCA A CORTAR NESTES LADRÕES!

comentários mais recentes
Anónimo 18.01.2017

Mas uma vez o mestre da Ilusão engana os portugueses.
Este défice é conseguido pelas seguintes poupanças: Perdão Fical(92M)+Dinheiro resgate(264M)+Não ajuda a Grécia(107M)+Venda F16(70), CATIVAÇÕES(445M) e outras(17M), que dá um total de 991M e que corresponde a 0,5% do PIB, ou seja, 2,8%.do PIB

Azia 17.01.2017

Mais azia para o careca drogado

VISITANTE 17.01.2017

Não costumo comentar, mas há por aí uns disparates e tenho que dizer algo. Tenho uma familia grande. Todos trabalhamos no privado nas mais variadas empresas. Todos nós fomos aumentados em 2016 e seremos tambem em 2017. Usufruimos salarios bem acima da media. Não façam politica rasteira.

Anónimo 17.01.2017

E o que se passa com as despesas de saúde enviadas para a ADSE? Estão debaixo do tapete ?Umas despesas que enviei do início do 4º trimestre à IP onde trabalho, ainda não me foram pagas nem aparecem no site da ADSE. Outras a pagar diretamente pela ADSE ao prestador, também não estão no site.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub