Política Costa já perdeu quase um quarto do Governo inicial

Costa já perdeu quase um quarto do Governo inicial

Desde que tomou posse, o Executivo já perdeu 14 pessoas que fizeram parte da equipa inicial. A grande fatia são secretários de Estado. Manuel Delgado é a mais recente saída.
Costa já perdeu quase um quarto do Governo inicial
Miguel Baltazar/Negócios
Marta Moitinho Oliveira 12 de dezembro de 2017 às 17:51

Manuel Delgado, o secretário de Estado que está de saída, é a 14.ª pessoa da equipa inicial do Governo de António Costa a deixar funções no Executivo. Quase um quarto da equipa que tomou posse no final de 2015 já não está no Governo.

A saída de Manuel Delgado foi conhecida esta terça-feira e está relacionada com a polémica que envolve a associação Raríssimas, onde o secretário de Estado foi consultor entre 2013 e 2014, período no qual recebeu 63 mil euros.

Apesar de o primeiro-ministro estar fora do país, a substituição de Manuel Delgado vai acontecer já esta tarde com a tomada de posse de Rosa Zorrinho, até agora presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

Delgado é a 14.ª pessoa a sair do Governo, que começou funções com 59 membros (incluindo o primeiro-ministro). Ou seja, já saíram 24% das pessoas da primeira equipa.

Até agora, 12 dos 14 que abandonaram funções eram secretários de Estado. Apenas dois eram ministros – João Soares e Constança Urbano de Sousa.

As saídas têm sido marcadas por algumas polémicas. Fernando Rocha Andrade, João Vasconcelos e Jorge Costa Oliveira (que foi escolhido por Costa para a equipa inicial mas só tomou posse oito dias depois do Governo por estar fora do país) saíram do Executivo por terem sido constituídos arguidos no Galpgate, o caso que envolve a oferta de bilhetes para assistir a jogos de futebol no campeonato europeu de futebol.

Constança Urbano de Sousa e Jorge Costa deixaram o Executivo na sequência da polémica mais forte deste Verão – os incêndios em Pedrógão, um caso cujos primeiros arguidos foram conhecidos esta terça-feira.

João Soares, que foi ministro da Cultura, foi a primeira baixa do Governo, depois de uma polémica no Facebook onde o ministro ofereceu "umas salutares bofetadas" a um colunista.

A história do Governo de António Costa conta também com algumas entradas – Álvaro Novo assumiu a pasta do Tesouro no Ministério das Finanças, deixando Ricardo Mourinho Félix mais livre para ser secretário de Estado Adjunto e das Finanças. Além disso, António Costa criou em Julho a nova secretaria de Estado da Habitação, tutelada por Ana Pinho.                   




A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Para a re-instalação da imensa podridão socretina Há 1 semana

Este governo está a transformar-se, a olhos vistos, num esgoto a céu aberto...

Não chamem isto "governo"... que é insultar governos sérios.

E as hipócritas esganiçadas não dizem nada? Ficaram subitamente afónicas?... Ah... Foram de férias para Marte!

Anónimo Há 1 semana

Hoje vem em DRE, a nomeação para o conselho diretivo da SS.Adivinhem qual a parte do CV que é comum a todos? Passaram todos por gabinetes de governos PS.

Anónimo Há 1 semana

Agora inventar mais umas PPPs para os parasitas de esquerda viverem à custa do tuga.

Criador de Touros Há 1 semana

Pode perder o governo todo. Até convém...!!; )

ver mais comentários
pub