Economia Costa: "Não estamos nem mais nem menos sujeitos às regras" europeias

Costa: "Não estamos nem mais nem menos sujeitos às regras" europeias

O primeiro-ministro tenta descansar os parceiros à esquerda do PS e deixa uma resposta indirecta ao Presidente da República. Não há mais exigência porque as regras não mudaram.
Costa: "Não estamos nem mais nem menos sujeitos às regras" europeias
Pedro Elias
Marta Moitinho Oliveira 06 de dezembro de 2017 às 17:15
António Costa defendeu esta quarta-feira que em Portugal nada muda com a eleição de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, porque as regras "não mudaram". 

O primeiro-ministro respondia à deputada d'Os Verdes, Heloísa Apolónia, que não quis felicitar o ministro das Finanças pela eleição e se mostrou preocupada pelo impacto que esta escolha pode ter em Portugal. Receios partilhados pelos parceiros à esquerda do PS durante do debate quinzenal no Parlamento. 

"Quanto a Portugal não muda nada", disse, acrescentando que o Governo vai continuar a cumprir os seus compromissos com os parceiros e com a União Europeia, e que constam do Programa do Governo.   

O chefe do Executivo assegurou ainda que o Governo não está mais comprometido com as regras europeias pelo facto do ministro das Finanças assumir novas funções na União Europeia, uma garantia que também pode ser vista como uma resposta indirecta ao Presidente da República. 


"Não estamos nem mais nem menos sujeitos às regras" do que estávamos sujeitos anteriormente, porque as regras "não mudaram", afirmou. 

Na reacção à eleição de Centeno, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que eleição para o Eurogrupo representa "uma exigência acrescida em termos do caminho seguido em termos financeiros", porque "todos vão estar a olhar para Portugal" e o presidente do Eurogrupo "tem de dar o exemplo".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub