Impostos Costa promete baixar IRS para "quem ganhe menos"

Costa promete baixar IRS para "quem ganhe menos"

No discurso que marca a rentrée do PS, o primeiro-ministro reiterou a intenção em baixar o IRS para trabalhadores com salários mais baixos, sem no entanto precisar valores.
Costa promete baixar IRS para "quem ganhe menos"
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios com Lusa 26 de agosto de 2017 às 23:37
O primeiro-ministro prometeu ontem reduzir o IRS para "quem ganhe menos". Discusando em Faro na festa que marca a rentrée do PS, António Costa reiterou que o Governo irá aumentar a progressividade do IRS, aumentando o número de escalões. Porém, fê-lo sem acrescentar nova informação: fica por saber quantos novos escalões serão introduzidos, em que níveis de rendimento e até quanto é que o Governo está disposto a suportar de perda de receita. O ponto de partida são 200 milhões de euros, valor que tanto o Bloco de Esquerda, como o PCP e os Verdes consideram muito insuficiente.

No seu discurso, citado pela agência Lusa, o primeiro-ministro assegurou que o Orçamento do Estado para 2018 continuará a aumentar o rendimento das famílias e, por isso, serão introduzidos mais escalões no IRS, "para que quem ganhe menos, pague menos".

"Vai continuar a aumentar o rendimento disponível das famílias, porque aumentar o rendimento disponível das famílias é essencial para melhorar a nossa situação económica e é por isso que nós vamos melhorar a progressividade do IRS, vamos aumentar os escalões do IRS, para que quem ganhe menos pague menos, porque é com maior justiça fiscal que nós também melhoramos o rendimento das famílias", afirmou António Costa, que é também secretário-geral do PS, no discurso da ‘rentrée' do partido, em Faro.


Sublinhando que é necessário "prosseguir as boas políticas que dão bons resultados", António Costa garantiu ainda que o Orçamento do Estado para 2018 (OE2018), "seguramente vai continuar a prosseguir uma trajetória de controlo do défice", porque só assim se pode reduzir a dívida pública, bem como continuar a estimular o investimento para o país continuar a crescer e a criar emprego.




A sua opinião24
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 27.08.2017

Sempre a "DIREITALHA"!!!... Os habituais bombeiros apagadores dos fogos que a ESQUERDALHA, ateia!!!

comentários mais recentes
Anónimo 31.08.2017

O Robin dos Bosques ao menos tirava aos ricos para dar aos pobres, este tira mais aos que ganham mais para tirar menos aos que menos ganham.

Sim costa é o maior... 27.08.2017

Aldrabão
Vigarista
Mentiroso
Oportunista
Hipocrita
Vendedor de banha da cobra
Demagogo
Usurpador
Incompetente
Negligente
Resumindo um ser desprezível que nunca deveria ser Pm.

COSTA É O MAIOR !!! 27.08.2017

O dr António Costa é o melhor 1º ministro de todo o sempre.Comparar Costa com Cavaco, Santana, Durão e Passos é o mesmo que comparar um diamante de 500 quilates com 1gr de cobre.Hoje Costa é idolatrado pelos portugueses e bem o merece.Vai ser 1º ministro durante muitos e bons anos.VIVA ANTONIO COSTA

Zé Manel 27.08.2017

Quem ganha pouco paga quase nada de IRS. Baixar o "quase nada" tem pouco impacto na colecta de impostos já que o grosso vem da classe média, e média/alta. Enquanto isso oferecem isenção de impostos aos estrangeiros ricos que vêm viver para Portugal. É uma vergonha o governo que temos.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub