Finanças Públicas Costa responde a Schäuble e diz que "contra factos não há argumentos"  

Costa responde a Schäuble e diz que "contra factos não há argumentos"  

O primeiro-ministro respondeu hoje com dados económicos positivos da economia portuguesa, salientando que "contra factos não há argumentos", depois de o ministro das Finanças alemão ter dito que Portugal se deve certificar da necessidade de um novo resgate.
Costa responde a Schäuble e diz que "contra factos não há argumentos"  
Pedro Elias
Lusa 15 de março de 2017 às 20:52

"Os números são simples: 2,1% de défice, o melhor em 42 anos de democracia, 2% de saldo primário positivo, diminuição de um ponto da dívida líquida, estabilização da dívida bruta e começo da redução, estabilização do sistema financeiro, criação de 118 mil postos de trabalho líquidos. Estes são os números. E contra factos não há argumentos", declarou António Costa.

 

O primeiro-ministro respondia aos jornalistas, no Porto, à saída da cerimónia de inauguração do Centro Tecnológico da Euronext, que vai criar 120 postos de trabalho.

 

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, disse hoje que Portugal se deve certificar de que "não precisa" de um resgate e lembrou que a pressão imposta pelos planos de resgate "funcionou bem".

 

"Certifiquem-se de que não precisam de resgate", disse o ministro alemão numa conferência de imprensa em Berlim, citado pela agência financeira Bloomberg.

 

António Costa afirmou ainda que há "empresas estrangeiras que apostam e confiam em Portugal" assim como há "empresas alemãs que estão em Portugal e que estão a alargar o seu investimento em Portugal". 




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
antunano Há 3 dias

Costa sabe que este défice foi obtido como lhe disse Teodora Cardoso, cheio de mentira e trafulhices , coisa que a UE sabe tal como Costa. Mas fazer dos professores burros não cabe em qualquer cabeça, só mesmo num rasteiro. A UE não é o Parlamento onde ele vai gritar as mentiras que lhe convém. Está no mesmo caminho que Sócrates tinha e o resultado só pode ser o mesmo.

Bernt Há 1 semana

O Costa que aproveite ate que passe esta fase das eleicoes na Holanda, Franca e Alemanha. Depois vai doer outra vez. Tudo o que estao a fazer agora e dar espaco para que ganhem as eleicoes os partidos democraticos. Depois... a ver se continua a brincar e dizer isto quando a divida continua alta...

Anónimo Há 1 semana

Alguém tem de dizer ao ministro alemão o Seguinte: vozes de burro não chegam aos céus. Ou será que ele vai trabalhar para o FMI e fazer parte da equipa que veio comer à grande e à custa da inventada crise económica em que a classe politica está a deixar Portugal? Será outra Albuquerque?

Anónimo Há 1 semana

Porra parece que temos adeptos dos três grandes aqui lolol
psd ps cds pp be pc etc etc é tudo igual. a diferenca e que uns ficam mais aziados do que os outros quando perdem.

ver mais comentários
pub