Orçamento do Estado Costa diz não antever "dificuldade especial" na apreciação do OE em Bruxelas

Costa diz não antever "dificuldade especial" na apreciação do OE em Bruxelas

O líder do Governo diz que as relações com o Executivo de Jean Claude Juncker são "serenas, calmas, descontraídas"e invocou as declarações de ontem de Mario Draghi sobre a situação do sector financeiro para sustentar o seu optimismo em relação à leitura europeia do Orçamento.
Costa diz não antever "dificuldade especial" na apreciação do OE em Bruxelas
Miguel Baltazar
Paulo Zacarias Gomes 21 de Outubro de 2016 às 13:03

O primeiro-ministro disse esta sexta-feira, 21 de Outubro, que não espera que existam dificuldades na leitura que a Comissão Europeia fará da proposta de Orçamento do Estado enviada na passada segunda-feira para Bruxelas e que as relações com a equipa de Juncker são "serenas e descontraídas".

"Não antevejo nenhuma dificuldade especial na apreciação pela Comissão Europeia do Orçamento", afirmou António Costa no final do Conselho Europeu de dois dias, em Bruxelas, em declarações transmitidas pela RTP 3.


"Não vejo que tipo de questões sejam suscitadas. Se compararmos os objectivos de consolidação de Portugal com outros países e os resultados alcançados não vejo que haja muita preocupação por parte da comissão," acrescentou, referindo que se houver alguns obstáculos o Governo está disponível para esclarecer Bruxelas.


Para justificar o seu optimismo em relação a esta apreciação, Costa recorreu à boa recepção que o Plano Nacional de Reformas teve na União Europeia e à decisão de não aplicação de sanções a Portugal pelo incumprimento da redução dos défices excessivos que diz ter acontecido durante o anterior Governo.

Além de afirmar que o diálogo sobre a possível suspensão de fundos comunitários a Portugal tem sido feita com "normalidade", Costa invocou as palavras de Mario Draghi esta quinta-feira, nas quais o presidente do Banco Central Europeu apontou os "progressos notáveis" conseguidos pelo Executivo português para compor o quadro de boas relações com as instituições europeias que diz existir.


(Notícia actualizada às 13:13 com mais informação)




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas


PENSIONISTAS DA FP ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO.


Os descontos efetuados pela FP só permitem pagar metade do valor das pensões.

O resto vem dos impostos pagos por todos os portugueses (ou seja, NÃO é propriedade do pensionista)!

É ROUBADO pelo pensionista.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas


PENSIONISTAS DA FP ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO.


Os descontos efetuados pela FP só permitem pagar metade do valor das pensões.

O resto vem dos impostos pagos por todos os portugueses (ou seja, NÃO é propriedade do pensionista)!

É ROUBADO pelo pensionista.

Anónimo Há 2 semanas

Este camelo só se vai dar conta , do mal que está a fazer ao País quando dermos com a cabeçla na parede, tem a sorte de ter o PR ,e até o Draghi a fazerem o jeito.http://observador.pt/2016/10/21/portugal-virou-para-a-direcao-errada-diz-o-alemao-otmar-issing/

pub
pub
pub
pub