Mundo Costa reúne-se com Presidente chinês, com economia e cultura na agenda

Costa reúne-se com Presidente chinês, com economia e cultura na agenda

Além de Xi Jinping, António Costa encontra-se, no âmbito da visita de cinco dias à China, com o seu homólogo Li Keqiang no domingo. O primeiro-ministro participa ainda em conferências e encontros com empresários e investidores e vai visitar a sede da Huawei.
Costa reúne-se com Presidente chinês, com economia e cultura na agenda
Lusa 06 de Outubro de 2016 às 12:29
O primeiro-ministro inicia no sábado, em Pequim, uma visita oficial de cinco dias à China, com passagens por Xangai e Macau, tendo uma agenda institucional que inclui uma reunião com o chefe de Estado chinês, Xi Jinping (na foto).

Além do encontro com Xi Jinping - que é destacado pela diplomacia portuguesa por o chefe de Estado chinês receber em audiência poucos primeiros-ministros estrangeiros -, António Costa reúne-se logo após chegar a Pequim, no Palácio do Povo, com o presidente do congresso chinês, Zhang Dejiang.

Ainda em relação à parte institucional do programa, António Costa encontra-se com o seu homólogo chinês, Li Keqiang, no domingo, a meio da tarde - reunião que será seguida por declarações à imprensa dos dois primeiros-ministros.

Numa visita em que estará acompanhado pelos ministros da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, António Costa terá nesse mesmo domingo, na capital chinesa, um pequeno-almoço com empresários chineses, seguindo depois, a meio da manhã, para uma conferência com investidores, promovida pela AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal) e pela CCILC chinesa.

A componente comercial dominará a totalidade do programa de António Costa na segunda-feira, em Xangai, considerada a capital económica da China.

Em Xangai, o primeiro-ministro terá mais um pequeno-almoço com empresários chineses, estará presente na abertura de um seminário empresarial e visitará uma mostra de produtos portugueses, intitulada "Sabores de Portugal".

Além da parte económica, outro dos objectivos da visita de António Costa relaciona-se com a difusão da língua e da cultura portuguesa, razão pela qual em Pequim, durante o seu segundo dia de presença na China, desloca-se à Universidade de Tsinghua.

Nesta universidade, o líder do executivo português fará uma intervenção num painel subordinado ao tema "A língua portuguesa como factor multicontinental para a cooperação política e prosperidade económica".

Também em Pequim, com o ministro da Cultura ao seu lado, vai estar presente na cerimónia de inauguração do festival de cinema português - iniciativa considerada pioneira na China e que tem a colaboração da Cinemateca Portuguesa.

As vertentes económica, cultural e histórica marcarão o dia completo que António Costa permanecerá em Macau, que tem como momento alto a cerimónia de abertura da 5ª Conferência Ministerial do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa.

Estarão nesta conferência vários empresários portugueses, assim como investidores de alguns dos maiores grupos económicos chineses.

O primeiro-ministro terá depois um encontro com o chefe do executivo da Região Administrativa Especial de Macau, Fernando Chui Sai On, e visitas ao Instituto Português do Oriente, à Escola Portuguesa e ao Instituto Politécnico de Macau.

Ao fim da tarde de terça-feira, António Costa intervém no "Startup Macau Forum" no Centro de Ciências e Tecnologia, antes de se encontrar com representantes da comunidade portuguesa.

António Costa termina a visita à China em Shenzhen, com uma deslocação à sede da multinacional tecnológica Huawei, na província de Guangdong, a 25 quilómetros a norte de Hong Kong.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub