Orçamento do Estado Costa: “Temos um orçamento equilibrado mas mais justo, que reduz o défice e a dívida”

Costa: “Temos um orçamento equilibrado mas mais justo, que reduz o défice e a dívida”

Num vídeo publicado no Youtube, o primeiro-ministro assinala que o Orçamento do Estado para o próximo ano é “equilibrado mas mais justo, que reduz o défice e a dívida, cumprindo os nossos compromissos internacionais”.
Costa: “Temos um orçamento equilibrado mas mais justo, que reduz o défice e a dívida”
bloomberg
Ana Laranjeiro 14 de outubro de 2016 às 21:17

"Um Orçamento do Estado faz-se de escolhas. E as escolhas que fizemos para 2017 reflectem o rumo que queremos para Portugal". É assim que começa o vídeo, publicado no Youtube, onde António Costa, primeiro-ministro, explica sumariamente o Orçamento do Estado para o próximo ano. Assinalando que "queremos que o país seja mais justo e mais coeso", o Governo vai continuar a proceder à "recuperação de rendimentos dos portugueses ao mesmo tempo que reforçamos os apoios sociais dos que mais carecem".

"Reduzimos a carga fiscal para todas as famílias. As famílias portuguesas vão este ano pagar menos impostos e os impostos que vão pagar terão maior justiça fiscal. O imposto sobre a acumulação do património imobiliário, por exemplo, será consignado exclusivamente ao reforço da sustentabilidade da Segurança Social. Não é uma receita para gastar este ano nas pensões que hoje estão em pagamento. É uma receita que garantirá que o futuro do sistema de pensões tem sustentabilidade para todos aqueles que estão a contribuir para a sua pensão no futuro", diz ainda António Costa.


Em relação à competitividade e inovação, o primeiro-ministro salienta que quer que Portugal seja "um país onde as empresas podem contar com medidas que possam acelerar o acesso ao financiamento para promover a sua competitividade ao mesmo tempo que fomentarão a criação de emprego e a criação de investimento público em sectores chave para a sociedade como o ensino, os cuidados de saúde, os transportes ou a segurança".


"Mas para termos este país mais igual e mais desenvolvido precisamos de um estado social forte e sobretudo investir no conhecimento. O conhecimento é a chave do nosso futuro e, por isso, investir na educação, na saúde, na ciência e na cultura são áreas em que voltamos a apostar em 2017 através de um conjunto de medidas que combatem as desigualdades e promovem a qualificação dos portugueses e estimulam a inovação".

Em jeito de remate, António Costa refere que "temos um orçamento equilibrado mas mais justo, que reduz o défice e a dívida, cumprindo os nossos compromissos internacionais mas que não esquece as famílias, apostando na melhoria dos seus rendimentos e a protecção social daqueles que mais carecem". "E que promove o investimento das empresas e o crescimento económico sustentável gerador de emprego".




A sua opinião25
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Cândida Palma 14.10.2016

É muito criativo este primeiro ministro, devia começar a escrever livros de histórias como o outro

comentários mais recentes
Anónimo 15.10.2016

ladrao corrupto cigano monhe nao vales nada vai la cobrar impostos ao teus companheiros comunas pelo patrimonio deles nao pagam nada ne? tem que pagar os portugueses para darem a vcs chuls de mer fodSe hao de aparecer mortos um dia terrorists sao vcs

Anónimo 14.10.2016

o maior golpista e traidor do partido o monhé a.costa que passou a perna ao lider a.seguro por ter ganho todas as eleições a que se submeteu e ganhou-as todas ele achou poucuchinho...e ele a.costa o monhé que todos nós no ps dispensamos que perdeu as eleições e traiu todos deve ser expulso

J Luís Luís 14.10.2016

Há quantos anos é que dizem o mesmo e quantos anos é que foi cumprido? Pois...

Vasco Nogueira 14.10.2016

Este indiano é igual a todos os outros que por lá passam..€

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub