Função Pública Cresap tem 48 concursos em mãos e está a oito dias de ficar sem presidente

Cresap tem 48 concursos em mãos e está a oito dias de ficar sem presidente

João Bilhim reforma-se a 12 de Outubro e o Governo ainda não o substituiu, escreve o Público. Há quase meia centena de concursos para dirigentes públicos e não se sabe ainda o que pretende o Executivo fazer com a comissão criada por Passos em 2011.
Cresap tem 48 concursos em mãos e está a oito dias de ficar sem presidente
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 04 de Outubro de 2016 às 10:30

O presidente da Comissão de Recrutamento e Selecção para a Administração Pública (Cresap) reforma-se no próximo dia 12 de Outubro, mas o Governo não disse até agora o que pretende fazer, isto é, de o vai substituir e por quem ou se, pelo contrário, aproveitará a sua saída para fazer mudanças ou mesmo para extinguir a entidade.

 

A notícia faz a manchete do Público, na sua edição desta terça-feira, 4 de Outubro e, segundo escreve o jornal, tudo indica que haverá um vazio de poder na Comissão. O facto de João Bilhim (na foto) se jubilar não impediria que se mantivesse no cargo durante algum tempo, desde que o Executivo emitisse um despacho a autorizar que tal acontecesse por razões de interesse público. Tal não aconteceu, porém, apesar de, escreve o Público, desde Abril o Governo saber o que iria acontecer.

 

Assim, apesar de o mandato do actual presidente terminar em Maio do próximo ano, este deverá abandonar já o cargo. Até Maio manter-se-ão apenas os três vogais permanentes. Entretanto, a Cresap tem em mãos 48 concursos de dirigentes públicos, além de vários pedidos de avaliação de currículos de gestores públicos.

 

A Cresap foi criada em 2011 pelo Governo de Pedro Passos Coelho e de Paulo Portas com o objectivo de tornar mais transparente a escolha dos altos dirigentes do Estado e os gestores de empresas públicas ou de reguladores. Arrisca agora um vazio de poder que poderá colocar em causa a continuação de funções, conclui o Público. 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 semanas


O VERDADEIRO SOCIALISTA

Um verdadeiro socialista defende a igualdade (critérios iguais) e a justiça para todos os cidadãos.

Ao contrário de muitos portugueses que se dizem socialistas (incluindo os do governo), mas que apenas defendem os interesses particulares de alguns grupos privilegiados…

Em detrimento dos restantes cidadãos (a maioria dos portugueses) que são cada vez mais sacrificados para sustentar os privilégios, as mordomias, as regalias e as benesses desses grupos.

comentários mais recentes
portuense Há 4 semanas

Pois, poi, conheço um, que foi eleito para um cargo apenas por ser um político

Anónimo Há 4 semanas


O VERDADEIRO SOCIALISTA

Um verdadeiro socialista defende a igualdade (critérios iguais) e a justiça para todos os cidadãos.

Ao contrário de muitos portugueses que se dizem socialistas (incluindo os do governo), mas que apenas defendem os interesses particulares de alguns grupos privilegiados…

Em detrimento dos restantes cidadãos (a maioria dos portugueses) que são cada vez mais sacrificados para sustentar os privilégios, as mordomias, as regalias e as benesses desses grupos.

pub
pub
pub
pub