Conjuntura Crescimento da economia em Maio foi o maior em 17 anos

Crescimento da economia em Maio foi o maior em 17 anos

O indicador do Banco de Portugal aponta para que a economia portuguesa tenha acelerado o crescimento em Maio face ao registado no primeiro trimestre, que já tinha sido o mais forte em 10 anos.
Crescimento da economia em Maio foi o maior em 17 anos
Paulo Duarte/Negócios
Nuno Carregueiro 16 de junho de 2017 às 12:48

Os dados revelados esta sexta-feira pelo Banco de Portugal mostram que o crescimento da actividade económica em Portugal, durante o mês de Maio, foi o mais forte desde Outubro de 2000.

 

O indicador coincidente do banco central, para medir a actividade económica, aumentou 3% no mês de Maio. É preciso recuar a Outubro de 2000 para encontrar uma taxa de crescimento semelhante, sendo que desde esse mês que este indicador nunca tinha crescido 3%.  

 

Os dados do Banco de Portugal apontam assim para que a economia portuguesa tenha acelerado o crescimento face ao primeiro trimestre, período que já tinha sido o mais forte em 10 anos com o PIB a expandir-se 2,8% face ao período homólogo.

 

Em Abril, primeiro mês do segundo trimestre, o indicador do Banco de Portugal tinha crescido 2,6% (maior aumento em 10 anos), tendo em Maio reforçado a tendência com um aumento de 3%.

 

O indicador tem vindo a acelerar o crescimento nos últimos meses, passando de uma evolução positiva de 1,4% em Janeiro para 1,7% em Fevereiro e para 2,1% em Março.  

 

O ministro das Finanças, Mário Centeno, revelou recentemente que tem a expectativa que o crescimento do PIB no segundo trimestre supere os 3%.

 

As previsões têm apontado para uma economia mais forte na primeira metade do ano, que irá perdendo progressivamente ímpeto no segundo semestre. Ainda assim, todos esperam um crescimento mais forte do que em 2016, quando o PIB avançou 1,4%, sendo que as novas estimativas apontam para que a economia portuguesa possa crescer bem acima de 2% este ano. O Barclays foi o último a rever em alta as suas projecções, apontando para um crescimento do PIB de 2,9% este ano.

 

O indicador coincidente para o consumo privado, também divulgado hoje pelo Banco de Portugal, registou em Maio um crescimento de 2,7%, igual ao verificado em Abril e o ritmo mais elevado desde Maio de 2010.




pub