Indústria Crescimento da indústria desacelera no final do ano

Crescimento da indústria desacelera no final do ano

O volume de negócios na indústria desacelerou o ritmo de crescimento em Dezembro. Os dados do INE mostram que este indicador cresceu, em termos homólogos, 5% quando em Novembro tinham avançado 7,1%.
Crescimento da indústria desacelera no final do ano
Paulo Duarte
Ana Laranjeiro 09 de fevereiro de 2017 às 11:37

O volume de negócios na indústria registou uma desaceleração no ritmo de crescimento no último mês de 2016, penalizado tanto pelo mercado interno como pelo mercado externo. Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) indicam que o índice de volume de negócios na indústria teve um crescimento homólogo nominal de 5% em Dezembro. Um valor que contrasta com um crescimento de 7,1% registado em Novembro.

O gabinete de estatística aponta que as vendas das fábricas nacionais com destino ao mercado doméstico avançaram 3,9% em Dezembro comparativamente com o mesmo mês de 2015. Este valor fica abaixo do registado em Novembro, altura em que o índice de vendas na indústria para o mercado interno cresceu 5,6%.


"O agrupamento de bens intermédios foi o único a registar uma diminuição homóloga em Dezembro (-0,9%), após o aumento de 3,9% no mês anterior. O índice do agrupamento de bens de consumo abrandou 4,3 pontos percentuais, fixando-se a sua variação homóloga em 5,4%. Os agrupamentos de energia e de bens de Investimento passaram de variações de 4,5% e 1,3% em Novembro, respectivamente, para 6,4% e 3,3% em Dezembro", pode ler-se no documento.


Em relação ao mercado externo, o índice de vendas subiu 6,5% em termos homólogos em Dezembro. No mês anterior, aumentou 9,1%.

O INE avança que os dois mercados tiveram "variações homólogas menores que as observadas em Novembro". Um comportamento que poderá estar relacionado, pelo menos em parte, "com o número de dias úteis no período de referência (21 e 20 dias em Novembro e Dezembro de 2016, respectivamente, e 21 dias em iguais períodos do ano anterior)


O índice de emprego acelerou em Dezembro, bem como o das remunerações, ainda que este último menos que no mês anterior.

Assim, o índice do emprego cresceu 2,2% em termos homólogos em Dezembro. Em Novembro, tinha avançado 2,1%. O índice relativo às remunerações cresceu 2,7% em termos homólogos no último mês de 2016. Em Novembro do ano passado, tinha aumentado 4,8%.


O índice de horas trabalhadas registou uma subida ligeira, uma vez que em subiu 0,3% em Dezembro e em Novembro registou uma variação de -0,7%.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub