Conjuntura Crescimento das exportações trava a fundo em Setembro

Crescimento das exportações trava a fundo em Setembro

Exportações e importações registaram em Setembro uma travagem no seu crescimento, mas a das exportações foi mais acentuada, com as importações a crescerem mais do que as vendas para o exterior.
Crescimento das exportações trava a fundo em Setembro
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Antunes 09 de novembro de 2017 às 11:18

As exportações de bens aumentaram 5,8% em Setembro, quando comparado com o mesmo período do ano passado, revelou esta quinta-feira, 9 de Novembro, o Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

Este crescimento representa um abrandamento face ao verificado no mês anterior, altura em que as exportações aumentaram 13,9% em termos homólogos.

 

Já as importações aumentaram 8,1%, o que também representa uma travagem, ainda que menor, já que em Agosto o aumento das importações tinha sido de 12,1%.

 

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, as exportações cresceram apenas 4,3%, enquanto as importações aumentaram 7,3%.

 

Assim, as importações voltam a superar as exportações, aumentando o défice da balança comercial em 180 milhões de euros para 1,18 mil milhões de euros.

 

Excluindo os combustíveis e lubrificantes a balança comercial atingiu um saldo negativo de 875 milhões de euros, correspondente a um aumento de 178 milhões de euros em relação ao mesmo mês de 2016.

Pior trimestre das exportações do ano

Em termos acumulados, o terceiro trimestre de 2017 foi o pior desde os três meses terminados em Dezembro de 2016, no que se refere às exportações. 

As vendas de bens para o exterior cresceram 7,6% no trimestre terminado em Setembro, registando assim um abrandamento do ritmo de crescimento trimestral pelo segundo mês consecutivo. Este é mesmo o ritmo de aumento das exportações mais brando desde o final do ano passado, período em que cresceu 4,9%, mas em que as exportações vinham a recuperar.

No que respeita às importações até se verificou um acelerar do aumento no terceiro trimestre, período em que aumentaram 10,9%, em termos homólogos. Nos três meses terminados em Agosto, as importações cresceram 10,6%, o que também foi o ritmo mais brando desde o final do ano passado.

(Notícia atcualizada às 11:48 com informação sobre o acumulado do trimestre)




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

O defice comercial no trimestre Jul/Set foi de 2.823 milhoes€:
-defice de 1.828 milhoes com Espanha
-defice de 1.053 milhoes com resto Zona euro
- superavit de 58 milhoes com resto do mundo
Abram os olhos ceguinhos e vejam onde está o cancro que mina a economia do Pais há décadas.

alfa Há 1 semana

Noticias para encher... percentagens são muito bonitas para esconder a realidade.
Qual o valor em milhões de euros, para exportações e para importações? Para se saber se o buraco está maior... e por quantos milhões......

ComePito Há 1 semana

Tudo é importante, mas a balança comercial tem que se tornar positiva dê lá para onde der. Enquanto for negativa estaremos sempre mal. Exportações a subir 5% não pode ser mau, mas se entretanto compramos mais do que vendemos...estamos mal.

Anónimo Há 1 semana

E QUE TAL EXPORTAR-MOS CORRUPTOS?
TEMOS CÁ TANTOS Á SOLTA!
E AINDA HÁ FIGURÕES QUE DIZEM ACREDITAR NA JUSTIÇA!

pub