Conjuntura Crescimento da Zona Euro em mínimos de 20 meses devido à Alemanha, Espanha e Itália

Crescimento da Zona Euro em mínimos de 20 meses devido à Alemanha, Espanha e Itália

A actividade económica da Zona Euro recuou, em Setembro, para mínimos de 20 meses, sobretudo, devido ao abrandamento da Alemanha, Espanha e Itália.
Crescimento da Zona Euro em mínimos de 20 meses devido à Alemanha, Espanha e Itália
Bruno Simão/Negócios
Sara Antunes 05 de Outubro de 2016 às 10:53

O índice PMI da IHS Markit, para medir a evolução da economia da Zona Euro, recuou para 52,6 pontos, em Setembro, o que corresponde ao nível mais baixo desde o último trimestre de 2014. O indicador publicado esta quarta-feira, 5 de Outubro, é idêntico à primeira leitura, publicada a 23 de Setembro.

 

A contribuir para este abrandamento (leituras acima dos 50 pontos correspondem a crescimentos) estão essencialmente a Alemanha, a Espanha e Itália, que registaram abrandamentos no ritmo de crescimento da actividade económica.

 

O indicador para a Alemanha está no valor mais baixo dos últimos 16 meses, Itália em mínimos de quatro meses e Espanha, que se encontra num período de incerteza política, com um Governo de gestão, registou o valor mais baixo dos últimos dois meses.

 

Estas quedas no indicador destes países ofuscaram a melhoria registada em França, com o indicador a subir para o valor mais elevado dos últimos 15 meses. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub