Conjuntura Criação de empresas acelera crescimento em Agosto  

Criação de empresas acelera crescimento em Agosto  

Os números da criação e encerramento de empresas foram positivos nos últimos meses, de acordo com o barómetro da Informa.
Criação de empresas acelera crescimento em Agosto  
Nuno Carregueiro 18 de setembro de 2017 às 16:18

O nascimento de empresas retomou nos últimos meses a tendência de aceleração do crescimento, enquanto os encerramentos estão a descer a um ritmo mais forte do que no início do ano.

 

A conclusão pode tirar-se do mais recente barómetro da Informa, que dá conta que nos primeiros oito meses de 2017 foram constituídas 27.695 empresas e foram encerradas 8.698 companhias. Estes números representam um aumento de 8% nos nascimentos e uma queda de 1,7% nos encerramentos. 


"Depois de um início de ano instável, os últimos quatro meses foram de crescimento no número de constituições. Os encerramentos registam uma descida consistente desde Abril", refere a Informa.

 

O crescimento de empresas "não é homogéneo, estando concentrado em cinco sectores": serviços, actividades imobiliárias, construção, alojamento e restauração e agricultura, pecuária, pesca e caça.

 

O distrito de Lisboa mantém a liderança no crescimento das constituições de empresas e outras organizações, com um aumento de 13,8%, sendo que os distritos de Faro e Setúbal "também apresentaram um crescimento acentuado nos primeiros oito meses de 2017".

 

Nos encerramentos a Informa assinala que a queda é menos intensa do que o registado no ano passado (-6,8%), sendo que o distrito de Lisboa, com mais 163 encerramentos, "mantém-se em contraciclo com a quase totalidade dos distritos que desce ou mantém o número de extinções".

 

No que diz respeito às novas insolvências, a queda homóloga nos primeiros oito meses do ano foi de 22,3% para 2.323 companhias, pelo que o "ciclo de descida iniciado em 2013 mantém-se nos primeiros oito meses de 2017 sendo generalizado aos vários sectores e regiões do país".

 

Já a percentagem de empresas que cumprem os prazos de pagamento acordados (18,3%) mantém-se em valores ainda reduzidos e semelhantes a Julho de 2017.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub