Zona Euro Cristas diz que candidatura de Centeno é "aparentemente" positiva

Cristas diz que candidatura de Centeno é "aparentemente" positiva

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, considerou hoje que a opinião do partido sobre o ministro das Finanças "não muda" depois do anúncio de que será candidato à presidência do Eurogrupo, apontando críticas à sua actuação.
A carregar o vídeo ...
Negócios com Lusa 30 de novembro de 2017 às 13:02
"Quando um português está num lugar relevante de decisão numa instituição europeia, numa instituição internacional, certamente, enquanto portuguesa, noto que é um aspecto positivo, aparentemente, para o país", começou por dizer a presidente do CDS-PP.

Instada a comentar o anúncio da candidatura de Mário Centeno à presidência do Eurogrupo, confirmada esta manhã pelo Governo, Assunção Cristas salientou que "não entende" que "o ministro das Finanças em Portugal tenha desenvolvido, ou esteja a desenvolver um trabalho efectivamente relevante do ponto de vista da transparência, do ponto de vista da forma como actua, daquilo que diz aos portugueses".

Falando à margem de uma visita à Polícia Municipal de Lisboa enquanto vereadora do município, Assunção Cristas apontou críticas ao governante, considerando que "aprova orçamentos do Estado que são uma propaganda face aquilo que depois vem a ser executado", ou "lança mão das cativações de forma absolutamente inédita" no país.

"As críticas que o CDS faz à actuação do ministro Mário Centeno não se transformam pelo facto de, de repente, ele ser um candidato ao Eurogrupo", vincou, acrescentando que a opinião dos centristas "não muda por causa disto".

"Certamente continuaremos a fiscalizar e a exigir do Governo mais acção e, sobretudo, mais transparência na sua ação", destacou, observando que vê-se "um discurso da parte do Governo", que depois "não corresponde à realidade".

O Governo português apresentou hoje de manhã a candidatura do ministro das Finanças à presidência do Eurogrupo, informa uma nota do gabinete do primeiro-ministro, António Costa.

A eleição terá lugar na próxima reunião do Eurogrupo, agendada para segunda-feira, dia 4 de Dezembro.

Mário Centeno, 50 anos, natural de Olhão, Algarve, é ministro das Finanças desde 26 de Novembro de 2015.

A ministra letã das Finanças, Dana Reizniece-Ozola, também formalizou a candidatura a presidente do Eurogrupo, segundo fontes governamentais citadas na imprensa da Letónia.

Questionada sobre se esta é uma oportunidade para o primeiro-ministro António Costa nomear um novo responsável pelas Finanças, Assunção Cristas salientou que essa questão "nem sequer se coloca", uma vez que "o que é habitual e normal é que o presidente do Eurogrupo seja o ministro das Finanças em exercício".

"Se Mário Centeno irá passar a ser um melhor ministro das Finanças, pois não sei", , mas "seria certamente" uma ironia do destino se Mário Centeno chegar à presidência do Eurogrupo, dadas as críticas que esta instituição teceu a Portugal, acrescentou.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
eleitor Há 1 semana

Sempre em cima de todo acontecimento para nada dizer de valido ....................enfim como o nosso Presidente , muito gosta dos holofotes , a diferença que o nosso Presidente ainda diz coisa com coisa !

pub