Política Cristas diz que crescimento económico se deve ao investimento privado

Cristas diz que crescimento económico se deve ao investimento privado

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, disse este domingo que o crescimento económico do país vem do investimento privado e não do consumo interno e do investimento público, como defendia o Governo PS.
Cristas diz que crescimento económico se deve ao investimento privado
Lusa 28 de maio de 2017 às 20:17

Perante uma plateia cheia de militantes centristas em Oliveira do Bairro, a líder do CDS-PP referiu-se à evolução da economia portuguesa, dizendo que o que está a mostrar ser capaz de gerar esse crescimento é "a força empreendedora das empresas, é o investimento privado".

 

"Nunca tivemos dúvidas sobre isso. Sempre dissemos que essa era a forma certa, duradoura e sólida de criação de emprego e de riqueza para o país. Outros no Governo achavam que a solução era outra. Diziam que era tudo pelo consumo ou que era tudo pelo investimento público. No final de contas, o consumo está assim-assim e o investimento público teve uma queda brutal", disse Cristas.

 

A líder dos centristas sublinhou ainda que os autarcas devem ser "parceiros activos" no crescimento económico, estimulando e atraindo investimento e criando "um ambiente amigo das empresas e da criação do emprego, com taxas baixas".

 

"Hoje é também esse o papel dos autarcas. Não é estarem na cadeira à espera dos projectos para dizerem se sim ou se não e, muitas vezes, em muitos municípios, criando tantos embaraços que as pessoas desistem à primeira conversa", adiantou.

 

Assunção Cristas discursava, no auditório do Espaço Inovação, em Oliveira do Bairro, durante a apresentação da candidatura de Duarte Novo à presidência daquele município pelo CDS-PP nas próximas eleições autárquicas.

 

A líder do CDS-PP disse que os centristas têm uma oportunidade de "voltar a fazer história" neste município, a que o partido já presidiu e onde o actual presidente Mário João Oliveira (PSD) não se recandidata, por ter atingido o limite de mandatos.

 

Realçou ainda o trabalho que tem vindo a ser feito para encontrar "as melhores soluções e os melhores candidatos", afirmando que o partido "tem estado mobilizado" e "quer recuperar peso autárquico".




A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
eleitor 29.05.2017

Muitos vão para pulhiticos porque não sabem fazer mais nada . Apadrinhados por diversas razões por ascendentes para serem simples piões no tabuleiro politico . Esta criatura não é nem nunca foi credível foi uma simples racha para a fogueira que o CDS gosta de alimentar com mesquinhices triviais !

Ruben 29.05.2017

Então se o investimento público foi o mais baixo da década e o crescimento o mais alto da década, é óbvio que o mérito é da iniciativa privada! E devia servir de exemplo para o estado deixar de se intrometer nas trocas entre cidadãos!

A grande Herança da quadrilha do laranjal escavaca 29.05.2017

Os submarinos foi O quê ?.

Anónimo 29.05.2017

Mais uma verdade verdadeira , mas para além destas afirmações estas fulanas e fulanos dos partidos deveriam pensar em partirem de vez daqui para fora para fazermos disto um País a Sério.

ver mais comentários