Defesa Cristas diz que é tempo de o primeiro-ministro dar explicações sobre roubo em Tancos

Cristas diz que é tempo de o primeiro-ministro dar explicações sobre roubo em Tancos

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, pediu hoje ao primeiro-ministro que dê explicações aos portugueses sobre o furto de munições de guerra em Tancos e que apresente medidas para assegurar que tal não volta a acontecer.
Cristas diz que é tempo de o primeiro-ministro dar explicações sobre roubo em Tancos
.
Lusa 02 de julho de 2017 às 19:55
"Creio que é altura do senhor primeiro-ministro dizer alguma coisa. Esta é uma situação muito grave do ponto de vista da segurança interna, que mina a confiança dos portugueses nas instituições do Estado e é também gravíssima do ponto de vista externo, da credibilidade externa do Governo português e de Portugal", sustentou.

À entrada para a apresentação do candidato centrista de Nelas às próximas Autárquicas, Assunção Cristas sublinhou que os portugueses estão à espera que António Costa se pronuncie sobre este assunto e que venha dizer que medidas estão a ser tomadas.

"Dizer que responsabilidades o Governo assume e que consequências é que daí retira para garantir que isto não volta a acontecer", acrescentou.

No seu entender, o primeiro-ministro coordena o Governo e tem a responsabilidade de dar tranquilidade "para dentro e para fora".

"Tem de vir falar aos portugueses e de vir falar aos nossos parceiros internacionais, que olham para Portugal e veem um país que não foi capaz de lidar com esta situação que é gravíssima. De hoje para amanhã, não sabemos onde estarão as armas, estarão em conflitos em África, estarão a ser utilizadas ou pensadas para atos de terrorismo, não sabemos", apontou.

Aos jornalistas, a líder centrista disse que ainda há poucos meses também existiu um furto de armas, numa referência ao roubo de pistolas da PSP.

"É impressionante a degradação da confiança nas instituições que tratam da nossa segurança e da nossa defesa. Isto é atacar os alicerces de um estado soberano e de direito e isso é preocupante", alegou.

Assunção Cristas disse ainda que o CDS/PP tem pedida uma audição ao ministro da Defesa, no Parlamento, que espera que tenha lugar na próxima quarta-feira.

O Exército revelou na sexta-feira que entre o material de guerra furtado na quarta-feira dos Paióis Nacionais de Tancos estão granadas foguete anticarro, granadas de gás lacrimogéneo e explosivos.

O chefe do Estado-Maior do Exército, Rovisco Duarte, anunciou no sábado que afastou provisoriamente os cinco comandantes de unidades do campo militar para não interferirem com os processos de averiguações sobre o caso.

Sobre estas demissões, Cristas referiu que ficou a dúvida se "afinal foi uma exoneração ou uma suspensão das chefias intermédias".



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 02.07.2017

Em comparação com Marcelo e o seu governo das esquerdas unidas, Obama foi um fanático ultra neoliberal. As pessoas mais desatentas ou distraídas deviam ter consciência disto. Cabe a órgãos de comunicação social como o Jornal de Negócios, de forma pedagógica, a facilitação dessa informação verídica e oportuna à luz dos desafios que Portugal e os portugueses enfrentam e dos quais muitos nem se apercebem. Foi lamentável o que aconteceu em Pedrógão Grande e em Tancos por causa do investimento público ter sido cortado pelo governo socialista para o nível mais reduzido desde 1960 para equilibrar contas públicas pressionadas pela patologicamente extensa e criminosamente hiperinflacionada folha salarial e de pensões do Estado. "Job shifts under Obama: Fewer government workers, more caregivers, servers and temps" www.pewresearch.org/fact-tank/2015/01/14/job-shifts-under-obama-fewer-government-workers-more-caregivers-servers-and-temps/

comentários mais recentes
Anónimo 03.07.2017

Só Há uma maneira minimamente airosa de sair disto, que é recuperar todo o material roubado.
O presidente deveria dar um prazo ao governo para a recuperação do material roubado.

Anónimo 02.07.2017

Os geringonceiros do costume são tão deselegantes, retardados e embrutecidos que o seu lado animalesco de predadores sexuais misóginos vem logo ao de cima antes mesmo que os seus cérebros primitivos reptilianos se apercebam da miserável imagem que deixam dos geringonceiros do seu calibre nestes espaços de comentário.

Anónimo 02.07.2017

Os Neros lusitanos geringonceiros estão loucos de contentamento. A austeridade acabou, mas orçamento para limpeza de matas junto a vias de comunicação e aviões apaga-fogos não há. Nem para serviço nocturno do INEM em cidades como Aveiro, Covilhã e Chaves. Aço e cimento para vedações nos paióis militares e sistemas de alarme e video-vigilância, também não. É preciso é dignificar o excedentarismo de carreira sindicalizado. E a dívida pública para eu e os meus pagarem continua a subir. Está muito bem...

Anónimo 02.07.2017

Devias lá estar tu aguardar os paióis . Pelos vistos os militares estavam "distraídos" .. resta saber quem e quanto recebeu.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub