Saúde Cristas diz que saúde é "parente pobre da governação" e pede mais investimento

Cristas diz que saúde é "parente pobre da governação" e pede mais investimento

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, declarou esta terça-feira que a saúde é "um parente pobre da governação", argumentou que 5,4% do PIB em recursos alocados aquela área é "muito pouco" e é preciso mais investimento.
Cristas diz que saúde é "parente pobre da governação" e pede mais investimento
Lusa
Lusa 23 de janeiro de 2018 às 20:30

"Às vezes não é precisa legislação, é preciso executar a legislação que existe, é preciso pôr dinheiro nas coisas. O que nós sentimos é que a saúde é um parente pobre da governação. De facto, 5,4% do PIB ser alocado à saúde é muito pouco e é preciso mais dinheiro, com certeza que bem gasto e com soluções a pensar não apenas no imediato mas também no futuro", defendeu Assunção Cristas.

 

Em declarações à Lusa após reuniões na Ordem dos Farmacêuticos e na Ordem dos Médicos Dentistas, a líder do CDS defendeu que é preciso "discutir soluções", que passam também pela "questão do financiamento", promovendo, por isso, na quarta-feira um debate sobre modelos de financiamento com especialistas e organizações do sector.

 

"Sabemos que o que o país gasta é apenas 5,4% do PIB, estamos no fim da tabela dos países da OCDE. O que assistimos é a um desânimo muito grande por parte dos profissionais, a um sistema que vai andando mas que não responde e que, sobretudo, não tem perspectiva de futuro quando a população está mais envelhecida e vai precisar de mais cuidados de saúde, que vai ter multipatologias", argumentou.

 

Da reunião na Ordem dos Farmacêuticos Assunção Cristas reteve "preocupações em relação a escassez de recursos humanos na saúde, não só médicos e enfermeiros, mas também farmacêuticos", agravada pelo envelhecimento da população, que torna a intervenção daqueles profissionais cada vez mais necessária.

 

A Ordem dos Médicos Dentistas sinalizou, por seu turno, preocupações com o plano nacional de saúde oral, que envolveu mais de 4 mil dentistas, e cumpre dez anos de existência, "com grande impacto nas crianças e grávidas e que seria natural e expectável é que fosse alargado". "Neste momento está mais ou menos congelado, ainda por cima com pagamentos em atraso", afirmou a presidente do CDS.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Gualberto Há 4 semanas

Há qualquer coisa, neste discurso, que não joga com as recentes grandes concentrações/aquisições de serviços vários de saúde e já agora com um passado recente de governação.

Ze nabo Há 4 semanas

Falou miss piggy, a tal, do governo do careca drogado cara de velha aziado farsola de massama e amante do diabo e defunto recente, que assinava de cruz por tlm a resoluçao do bes enquanto estava na praia a esquentá-la ao sol...

SA'....CRISTAS! Há 4 semanas

Esta gaja NAO TEM PINTA DE VERGONHA!
FEZ PARTE de um desgov de ma memoria,formado plo PPd/CDs, q se "NOTABILIZOU" particularmente PLOS CORTES no financiamento,DESPEDIMENTOS, PRIVATISACOES de servicos de saude e CORTES NAS PENSOES, vem AGORA CHORAR LAGRIMAS DE "CROCODILA".
VIGARISTA! YOU STINK!

jcs Há 4 semanas

Quando esta mulher foi Ministra no anterior governo psd/cds nunca a ouvimos "piar" e nesse tempo 05-06-2011 a 25-11-2015 na Saúde houve roturas nos Hospitais até do material mais básico tal como nas Educação nas escolas os alunos até tinham que levar o papel higiénico e da boca dela nem um pio.