Segurança Social CSI será alargado mas só para pensões antecipadas posteriores a 2014

CSI será alargado mas só para pensões antecipadas posteriores a 2014

Os pensionistas comprovadamente pobres que tenham pedido uma pensão antecipada vão poder pedir o complemento solidário para idosos, mas apenas se a sua pensão tiver sido atribuída após Janeiro de 2014.
CSI será alargado mas só para pensões antecipadas posteriores a 2014
Reuters
Catarina Almeida Pereira 22 de novembro de 2017 às 19:27

Os pensionistas que tenham pedido uma pensão antecipada após 1 de Janeiro de 2014 vão poder candidatar-se ao complemento solidário para idosos, independentemente da idade. PS e PCP ajudaram a aprovar na especialidade uma proposta do Bloco de Esquerda que prevê isso mesmo, ainda que os candidatos tenham menos de 66 anos e 3 meses.

Até aqui, o complemento solidário para idosos estava reservado a quem tinha a idade legal de reforma, que sobe todos os anos e que vai agora nos 66 anos e 3 meses.

A proposta apresentada pelo Bloco de Esquerda, já aprovada na especialidade, abre uma excepção a esse limite de idade, ao determinar que "durante o ano 2018 pode ser reconhecido" o direito ao CSI para os pensionistas que anteciparam a reforma por flexibilização, por actividade penosa ou por desemprego de longa duração.

Contudo, isto apenas se aplica às pensões iniciadas a partir de Janeiro de 2014.

O objectivo é garantir um complemento às pessoas que se reformaram com muito fortes penalizações, por vezes superiores a 70%, na sequência das alterações que aumentaram a idade da reforma – que deu um salto para os 66 anos, estando agora nos 66 anos e 3 meses – e agravaram substancialmente as penalizações das pensões antecipadas, por via do factor de sustentabilidade.

O PS votou contra a norma que permitia que este apoio financiado por impostos pudesse chegar a quem se reformou antes dessa data, ou seja, antes de Janeiro de 2014. O PSD também votou contra e por isso esta parte da proposta foi chumbada.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
José Gastão Há 2 semanas

Afinal mesmo verificando-se VIOLAÇÃO DAS LEGITIMAS EXPECTATIVAS nem sequer atenuam o valor das BRUTAIS PENALIZAÇÕES vitalícias aos reformados que foram lesados com as alterações de Pedro Mota Soares (Decretos Lei 167E/2013 e 378G/2013), uma vez que foram enganados nas rescisões de contratos de trab

Saber mais e Alertas
pub