Política Cuba aprova lei que proíbe nome e imagem de Fidel Castro em espaços públicos

Cuba aprova lei que proíbe nome e imagem de Fidel Castro em espaços públicos

O parlamento cubano aprovou esta terça-feira uma lei que proíbe o uso do nome do seu histórico líder recentemente falecido, Fidel Castro, em espaços públicos e a utilização da sua imagem para erigir monumentos.
Cuba aprova lei que proíbe nome e imagem de Fidel Castro em espaços públicos
Reuters
Lusa 27 de dezembro de 2016 às 20:53

Na última sessão deste ano da Assembleia Nacional de Cuba (parlamento unicameral), liderada pelo atual Presidente, Raúl Castro, os mais de 600 deputados cubanos aprovaram o instrumento jurídico que sustenta a vontade expressa por 'El Comandante' de "evitar qualquer manifestação de culto da personalidade", noticiou a Agência Cubana de Notícias. 

 

O desejo de Fidel, que morreu a 25 de Novembro em Havana, aos 90 anos, foi dado a conhecer pelo seu irmão Raúl a 3 de Dezembro, durante uma concentração maciça de despedida na cidade de Santiago de Cuba, onde no dia seguinte foram sepultados os restos mortais do líder da Revolução Cubana, que esteve no poder quase meio século (entre 1959 e 2006). 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Rado Há 4 semanas

Mais vale tarde...

Anónimo Há 4 semanas

Afinal, Cuba tem um parlamento! E andam por aí certas abencerragens a dizer que aquilo não é uma democracia. É!
Fidel não quer o "culto da imagem" depois de morto? Pois não. Bastou tê-lo tido em vida durante muitos anos, e quem discordasse ganhava umas prolongadas férias, na Isla de los piños.

Anónimo Há 4 semanas

Duas coisas,uma sabia a outra nao:sabia que em Cuba ha mais prostitutas que laranjas,nao sabia que um pais mais leve que um passarinho ao vento tinha 600 e muitos deputados.maldita raca manca.

pub