Cultura Cultura com défice comercial de 94 milhões de euros

Cultura com défice comercial de 94 milhões de euros

O sector das actividades culturais e recreativas registou um défice comercial de 94 milhões de euros em 2015, mais 27% que no ano anterior.
Cultura com défice comercial de 94 milhões de euros
Cátia Barbosa/Negócios
Rui Peres Jorge 13 de dezembro de 2016 às 12:28

O sector das actividades culturais e recreativas registou um défice comercial de 94 milhões de euros em 2015, mais 27% que em 2014, revelou o INE a 13 de Dezembro de 2016, num balanço estatístico do sector da cultura referente ao ano anterior.

"Da análise dos dados do Comércio Internacional, em 2015, constatou-se um agravamento do saldo negativo na balança comercial dos bens culturais em 26,6%, tendo passado de 74,1 milhões para 93,8 milhões de euros de 2014 para 2015", lê-se na nota do INE.

O instituto dá conta de um recuo de 23% nas exportações – que são dominadas por "livros, brochuras e impressos" e "objectos de arte – e de um aumento de 1,8% das importações – nas quais se destacam "jornais e publicações periódicas" e "livros e brochuras" e "instrumentos musicais".

"O valor das exportações de bens culturais foi de 57 milhões de euros, tendo-se verificado um decréscimo de 23,0% face ao ano anterior", lê-se na mesma nota, onde se acrescenta que "os "Livros, brochuras e impressos semelhantes", com 33,5 milhões de euros, representaram mais de metade (58,8%) das exportações de bens culturais" e que "o valor exportado dos "Objectos de arte, de colecção ou antiguidades" foi de 11,6 milhões de euros, sendo cerca de um terço desse valor, resultado da exportação de "Esculturas"".

Do lado das compras ao exterior, as "importações de bens culturais ultrapassaram 150,7 milhões de euros, representando um aumento de 1,8% face a 2014", diz o INE, que acrescenta que "a importação de "Jornais e publicações periódicas" e de "Livros, brochuras e impressos semelhantes" corresponderam a cerca de 66,5 milhões de euros e 43,5 milhões de euros, respectivamente. Seguiram-se os "Instrumentos musicais, suas partes e acessórios" (16,8%), "Objectos de arte, de colecção e antiguidades" (3,9%), "DVD´s" (3,4%) e os "CD´s e discos compactos" (3,3%)", explica o instituto.

Em 2015, a taxa de cobertura das importações pelas exportações foi de 37,8%, caindo 12 pontos face a 2014.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub