Energia Custo com contratos da EDP caiu sempre para o Estado
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Custo com contratos da EDP caiu sempre para o Estado

Os parâmetros definidos em 2007 nunca livraram o Estado português de pagar à EDP pelos CMEC. A eléctrica justifica, em parte, com a crise que ocorreu na última década. A investigação judicial, iniciada com uma queixa em 2012, já conta com sete arguidos.
Custo com contratos da EDP caiu sempre para o Estado
Bruno Simão
Diogo Cavaleiro 07 de junho de 2017 às 00:01

Desde a entrada em vigor do regime que visa assegurar o investimento feito pelos produtores em centrais eléctricas, no ano de 2007, a EDP nunca deixou de ser compensada financeiramente pelo Estado. "Até agora, não". A confirmaç

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 07.06.2017

Em França, e mesmo tendo o Estado francês como maior accionista com cerca de 85% das acções da empresa, a maior companhia de electricidade, cotada na bolsa de valores onde dispersou parte do seu capital, está orientada para o mercado livre, aberto e concorrencial, despede 5100 excedentários, gera lucros impressionantes, distribui dividendos notáveis aos accionistas, e vende uma das electricidades mais baratas de toda a União Europeia. Em Portugal, a congénere, anti-mercado, mal gerida, sem qualquer consideração pelos clientes e pelos accionistas, nem tão pouco pelas autoridades reguladoras e económicas que capturou há muito porque o Estado português deixa-se sempre capturar por nefastos e obscuros interesses, negoceia os despojos do mercado que matou à nascença e se habituou a roubar. "EDF plans up to 5,100 job cuts in France: source" http://www.reuters.com/article/us-edf-layoffs-idUSKBN15G4AL

comentários mais recentes
Anónimo 07.06.2017

Energia eléctrica mais cara da União Europeia e a quarta maior dívida pública do mundo em percentagem do PIB, que a economia não tem meios sustentáveis para pagar, são resultado da mentalidade anti-mercado que assolou todos os meandros da sociedade portuguesa. Há beneficiários desta situação e há vítimas. Mas no final todo o país ficará a perder.

Anónimo 07.06.2017

O povo deve andar a comer muito queijo da queijaria "coelhone da motadogil" eu lembro-me bem da peregrinação à prisão de Évora, até lá vi o Guterres.

Anónimo 07.06.2017

Os políticos gatunos e corruptos fazem negócios ruinosos para o Estado e nunca são presos. E agora a culpa é do Mexia? Fujam empresários!

Anónimo 07.06.2017

Basta de fretes. Nem uma setinha a descer do Mexia! Palavras para quê. Ontem não convenceu e nem explicou o que importa. O estado fez um mau negocio. A EDP patrocinou determinadas iniciativas e pessoas. E? O dosseir ficou na gaveta cinco anos para ver se prescrevia. É preciso mais?

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub