União Europeia David Cameron vence eleições com maioria absoluta

David Cameron vence eleições com maioria absoluta

Uma vitória estrondosa que superou todas as sondagens. David Cameron vence eleições com maioria parlamentar, com os trabalhistas e liberais democratas a serem os grandes derrotados. Os nacionalistas escoceses passaram de um pequeno partido para a terceira maior força no parlamento. Os resultados já provocaram a demissão de três líderes partidários.
A carregar o vídeo ...
André Cabrita-Mendes 08 de maio de 2015 às 12:45

David Cameron alcançou o número mágico nestas eleições: 326 deputados. O Partido Conservador vai assim governar o Reino Unido nos próximos cinco anos.


Além de obter nova vitória nas eleições, aumentou o número de deputados e alcançou uma maioria absoluta na Casa dos Comuns. Uma vitória que surpreendeu os comentadores e superou todas as sondagens.

Com 650 lugares em disputa no parlamento, os conservadores obtiveram 331 mandatos, o que lhes permite governar com uma maioria.

 

A vitória estrondosa dos conservadores já fez rolar três cabeças entre os líderes partidários britânicos, com as demissões de Ed Miliband (Partido Trabalhista), Nick Clegg (Liberais Democratas) e Nigel Farage (UKIP).

 

O Partido Trabalhista foi o grande derrotado desta noite, tendo perdido 26 lugares para ficar com um total de 232. A grande derrota do Labour teve lugar na Escócia onde perdeu 40 lugares, ficando apenas com um círculo eleitoral. Ed Miliband anunciou hoje a sua demissão e garante que deu o seu "melhor" nos últimos cinco anos.


Os resultados da noite eleitoral contrastam com as sondagens. Ao longo da campanha, os inquéritos aos eleitores apontaram para uma corrida renhida. Mas, na realidade, os conservadores superaram as estimativas mais optimistas.

Os Liberais Democratas, por sua vez, obtiveram um resultado decepcionante. A coligação com os conservadores nos últimos cinco anos teve consequências negativas para o partido nestas eleições, perdendo 49 lugares. Nick Clegg já bateu com a porta e disse que não está arrependido de ter formado governo com David Cameron.

 

Mais a Norte, na Escócia, o Partido Nacional Escocês obteve um resultado surpreendente: tornou-se no terceiro partido mais representado na Casa dos Comuns. Dos 59 lugares em disputa, venceu 56 mandatos. O mapa da Escócia foi assim pintado de amarelo, a cor dos nacionalistas liderados por Nicola Sturgeon.

 

"O rugido do leão escocês foi ouvido esta manhã em todo o país", disse o antigo líder do partido, Alex Salmond, esta manhã.

 

Depois da grande vitória nas eleições europeias em 2014, os eurocépticos do UKIP conseguiram obter um lugar na Casa dos Comuns. É de destacar, contudo, que o líder partidário Nigel Farage perdeu no seu círculo eleitoral, ficando de fora do parlamento.

 

Nigel Farage já anunciou a sua demissão, mas este pode não ser um adeus, mas um até já, pois o político prometeu "pensar na sua vida" durante as férias de verão e equacionar se se vai recandidatar nas eleições internas em Setembro. 

 
Resultados das eleições britânicas (650 lugares em disputa)
Partido Conservador - 331 lugares (mais 24 mandatos face às eleições anteriores).
 

Partido Trabalhista - 232 lugares (menos 26).

 
Partido Nacional da Escócia  - 56 lugares (mais 50).
 
Liberais Democratas - oito lugares (menos 49).
 
Democratic Unionist Party (Irlanda do Norte) - oito lugares (manteve).
 
Sinn Fein (Irlanda do Norte) - quatro lugares (menos um). É de destacar que, tradicionalmente, os nacionalistas irlandeses prescindem de ocupar o seu lugar na Casa dos Comuns.
 
Playd Cymru (País de Gales) - três lugares (manteve)
 
Social Democratic & Labour Party - três lugares (manteve).
 
Ulster Unionist Party (Irlanda do Norte) - dois lugares (dois conquistados).
 
UKIP - um lugar (um conquistado).
 
Verdes - um lugar (um conquistado).
 
Dados: BBC News.

(notícia actualizada às 16h00 com todos os círculos eleitorais apurados)


A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado marioalbertodesousaferreira Há 2 semanas

então palermas,televisões,jornalistas não havia vencedores,são uns atrasados bem feito

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Qualquer semelhança com Portugal é pura fantasia. Em Inglaterra entram IMIGRANTES, de Portugal saem EMIGRANTES. Lá criam-se postos de trabalho. Cá destruíram-se postos de trabalho. 300.000!!! Não semelhança no modelo de desenvolvimento e de gestão da economia.

jj Há 2 semanas

A xuxalhada vai ter repensar as asneiras que anda a propagar...

Alzira Lopes Há 2 semanas

Britanicos..inteligentes, agora só falta os Portugueses seguirem o exemplo.

Klassic Há 2 semanas

Para a História o que fica é como a habilidosa manipulação de sondagens conseguiu 'fazer' esta maioria, induzindo

a carneirada inglesa a votar ÚTIL.

Se duvidas houvesse sobre a pouca cabeça destes escarumbas convencidos...

ver mais comentários
pub
Notícias Relacionadas
pub
pub
pub