Orçamento do Estado Deloitte: Todos os contribuintes vão pagar menos IRS do que em 2017

Deloitte: Todos os contribuintes vão pagar menos IRS do que em 2017

Todos os contribuintes vão pagar menos IRS em 2018, face a 2017, devido às alterações nos escalões do imposto, nos rendimentos até 3.000 euros mensais brutos, e ao final da sobretaxa, nos salários acima desse valor.
Deloitte: Todos os contribuintes vão pagar menos IRS do que em 2017
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 14 de outubro de 2017 às 11:18

De acordo com simulações feitas pela consultora Deloitte para agência Lusa, todos os contribuintes solteiros sem filhos vão pagar menos Imposto sobre o Rendimento de pessoas Singulares (IRS) no próximo ano, quando comparado com 2017.


No caso destes contribuintes há poupanças entre os 100% - é o caso de quem recebe 8.820 euros anuais brutos (630 mensais), que pagava 320 euros de IRS e que vai deixar de pagar o imposto - e os 6,76% - como por exemplo um solteiro que receba 84.000 euros anuais brutos (3.000 mensais).

 

Também os contribuintes que recebem salário acima dos 3.000 euros vão pagar menos IRS em 2018 do que este ano, mas, de acordo com as simulações da Deloitte, essa poupança deve-se apenas ao fim da sobretaxa.

 

É que os sujeitos passivos com rendimentos anuais brutos de 84.000 euros (6.000 euros por mês) e 140.000 euros (10.000 euros por mês) não sentem as alterações nos escalões de IRS.

 

A mesma tendência verifica-se nos contribuintes casados e com filhos: todos eles sentem um alívio no IRS, pagando menos, mas essa diferença deve-se, na sua maior parte, ao final da sobretaxa nos rendimentos mais altos (neste caso acima dos 84.000 euros brutos anuais).

 

Para estes contribuintes, a melhoria no IRS varia entre os 7,06% para um rendimento de 140.000 euros (toda ela explicado pelo fim da sobretaxa) e entre os 16,38% num rendimento anual de 14.000 euros - neste caso justificado quase totalmente pelo desdobramento dos escalões.

 

Os cálculos da Deloitte incorporam o efeito da alteração no valor do mínimo de existência (que deverá subir para cerca de 8.850 euros anuais), dos novos escalões de IRS e ainda da eliminação da sobretaxa de IRS. Apenas foram consideradas, nas deduções à colecta, o valor máximo relativo aos encargos gerais familiares.

 

Solteiros com rendimento mensal de 630 euros 

Os solteiros que recebem um ordenado mensal bruto de 630 euros (8.820 euros anuais) vão deixar de pagar IRS em 2018. Este ano pagam 320 euros, um montante que poupam no próximo ano.

 

Solteiros com rendimento mensal de 1.000 euros

Os solteiros que recebem um ordenado mensal bruto de 1.000 euros (14.000 euros anuais) vão pagar menos 175,25 euros em 2018 em IRS (menos 10,96%), motivado na sua maioria pela alteração das tabelas de IRS (que significa uma poupança de 154,27 euros), mas também pelo fim da sobretaxa (menos 20,98 euros).

 

Em 2017, os solteiros com este ordenado pagam um total de 1.598,6 euros de IRS (incluindo a sobretaxa), um encargo que desce para 1.423,35 euros no próximo ano.

 

Solteiros com rendimento mensal de 2.000 euros

Os solteiros que ganham um ordenado mensal bruto de 2.000 euros (28.000 euros anuais) vão pagar menos 552,92 euros em IRS (8,98%), dos quais 281,72 euros dizem respeito ao fim da sobretaxa de IRS. Assim, no próximo ano, estes trabalhadores vão pagar um total de 5.605,4 euros em IRS, quando em 2017 pagaram 6.158,32 euros.

 

Solteiros com rendimento mensal de 3.000 euros

Os solteiros com um salário mensal bruto de 3.000 euros por mês (42.000 euros por ano) vão pagar menos 769,05 euros (6,76%) em 2018, muito devido ao fim da sobretaxa, que ainda custou a estes contribuintes 517,69 euros em 2017. Com o desdobramento dos escalões, estes contribuintes vão pagar menos 251,36 euros (-2,31%) de IRS. Desta forma, depois de pagarem um total de 11.383,37 euros com este imposto, estes contribuintes vão despender 10.614,32 euros em 2018.

 

Solteiro com salário mensal de 6.000 euros brutos

Estes trabalhadores, que recebem anualmente 84.000 euros brutos, vão pagar em 2018 menos 2.008,86 euros. Esta redução de 6,82% face ao que pagam de IRS em 2017 diz respeito apenas ao fim da sobretaxa, já que as alterações introduzidas nos escalões não têm impacto nestes contribuintes.

 

Casados com dois dependentes com rendimento total anual de 8.820 euros brutos

Este casal, que mensalmente tem um rendimento conjunto de 630 euros mensais, já não paga IRS em 2017 e vai continuar sem pagar.

 

Casados com dois dependentes com rendimento total anual de 14.000 euros brutos

Este casal, que mensalmente recebe 1.000 euros em conjunto, não paga IRS em 2017 se optar pela tributação conjunta, mas se não o fizer tem de gastar 984,67 euros com o imposto (dos quais 7,05 euros com sobretaxa). Em 2018, se optarem pela tributação separada, que continua a ser mais penalizadora, uma vez que pela conjunta não pagam imposto, gastam 823,35 euros de IRS este ano.

 

Casados com dois dependentes com rendimento total anual de 28.000 euros bruto

Este casal, que mensalmente recebe 2.000 euros em conjunto, paga em 2017 um total de 1.969,35 euros em IRS (dos quais 14,11 euros com a sobretaxa) se optar pela tributação conjunta, que é a mais vantajosa. Em 2018, a poupança neste caso é de 322,65 euros (menos 16,38%), devido ao fim da sobretaxa e das alterações nos escalões, caso os contribuintes optem pela tributação separada.

 

Casados com dois dependentes com rendimento total anual de 42.000 euros brutos

Este casal, que mensalmente aufere 3.000 euros brutos em conjunto, gasta este ano um total de 6.099,35 euros em IRS (dos quais 154,11 euros com a sobretaxa) caso opte pela tributação conjunta, que é mais vantajosa neste caso. Em 2018, a poupança no caso da tributação conjunta ascende a 551,09 euros (menos 9,04%), devido ao fim da sobretaxa, que significava, até aqui, um encargo de 154,11 euros neste casal, mas sobretudo pela alteração nos escalões, que levam a uma poupança de 396,98 euros neste caso.

 

Casados com dois dependentes com rendimento total anual de 84.000 euros brutos

Este casal, que mensalmente ganha 6.000 euros brutos em conjunto, paga um total de 21.142,08 euros em IRS este ano (dos quais 989,60 euros com a sobretaxa) caso opte pela tributação conjunta, que é mais benéfica neste caso. Em 2018, a poupança pode chegar aos 1.574,24 euros (menos 7,45%), mantendo-se a tributação conjunta, principalmente devido ao fim da sobretaxa, que significava, até aqui, um encargo de 989,60 euros para este casal, e pela alteração nos escalões, que levam a uma poupança de 584,64 euros neste caso.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub