Política Deputado do PS critica comunicado de Marcelo sobre Centeno

Deputado do PS critica comunicado de Marcelo sobre Centeno

O deputado socialista Porfírio Silva considerou hoje que um bom Presidente da República precisa de "respeitar os poderes próprios" e os dos outros órgãos de soberania, alertando que "o mundo não vive nem se esgota em boas intenções".
Lusa 14 de fevereiro de 2017 às 17:59

"Não basta querer ser 'presidente de todos os portugueses' para ser um bom PR [Presidente da República]. É preciso saber e respeitar os poderes próprios e os poderes dos demais órgãos de soberania", escreve o deputado e membro do Secretariado Nacional do PS na rede social Facebook.

 

Num comentário publicado esta tarde, Porfírio Silva não faz qualquer referência à nota que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, divulgou na segunda-feira à noite sobre o ministro das Finanças, Mário Centeno, mas aconselha a que não exista a "tentação de compensar o excessivo activismo com a técnica de 'uma no cravo, outra na ferradura'".

 

"E também é preciso evitar o método que se costuma chamar 'atirar a pedra e esconder a mão'. Até porque o mundo não vive nem se esgota em boas intenções, com ou sem aspas", refere o deputado socialista.

 

Porfírio Silva defende ainda que "mesmo um Presidente tendo tudo para ser um bom Presidente pode falhar se não atender a estas minudências".

 

"Tudo isto, bem entendido, em teoria geral. Ou salvo erro de percepção da minha parte", conclui o deputado do PS.

 

Na nota divulgada segunda-feira à noite no 'site' da Presidência da República, o chefe de Estado confirmou que tinha recebido, a pedido do primeiro-ministro, o ministro das Finanças, antes da conferência de imprensa que Mário Centeno deu ao final da tarde a propósito da polémica à volta da Caixa Geral de Depósitos.

 

No último ponto da nota, em que são relatados alguns factos desse encontro, lê-se que, "ouvido o senhor primeiro-ministro, que lhe comunicou manter a sua confiança no senhor professor Doutor Mário Centeno", o Presidente da República "aceitou tal posição, atendendo ao estrito interesse nacional, em termos de estabilidade financeira".

 

Também na segunda-feira, o primeiro-ministro confirmou a confiança em Mário Centeno no exercício das suas funções governativas, após um contacto com o Presidente da República.

 

"Tendo lido a comunicação do senhor ministro das Finanças e após contacto com Sua Excelência, o Presidente da República, entendo confirmar a minha confiança no professor Mário Centeno no exercício das suas funções governativas", referiu o primeiro-ministro, num comunicado enviado à comunicação social, pouco depois de terminar a conferência de imprensa do ministro das Finanças.

 

No comunicado, António Costa sublinhava que, "esclarecida a lisura da actuação do Governo, nada justifica pôr em causa a estabilidade governativa e a continuidade da sua política, para o que o contributo do professor Mário Centeno continua a ser de grande valia".

 

Na conferência de imprensa, o ministro das Finanças tinha afirmado que o seu lugar "está à disposição" desde que assumiu funções e reiterou que o acordo com António Domingues para a liderança da CGD não envolvia a eliminação da entrega das declarações de rendimentos. 

 




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ó valha-nos Santa Ingrácia Há 1 semana

A lei da rolha à moda da banda dos canhotos.

Se fosse um Governo PSD, os canhotos não paravam de rosnar.

Ui se era. . . . tristeza.

Anónimo Há 1 semana

Vocês deviam era de estar bem caladinhos porque se não fosse o Marcelinho a proteger-vos, da forma como tem protegido, e a geringonça andava entalada na lama!

Este desgoverno é uma "Miséria ética"! Há 1 semana

Ahahaahhaaahhhaahhh! O Catavento Marcelo é mesmo Lixado! Agora leva pancada de todos os lados!

uma vergonha Há 1 semana

Cambada de canhotos.

Para quem era sempre moralista, agora fecham a porta.

E ainda parecem umas virgens ofendidas.

Uma vergonha.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub