Emprego Desempregados registados no IEFP caem 18%

Desempregados registados no IEFP caem 18%

Há 418 mil pessoas inscritas nos centros de emprego e disponíveis para trabalhar, número que volta a ser o mais baixo desde Dezembro de 2008.
Desempregados registados no IEFP caem 18%
Bruno Simão/Negócios
Negócios 19 de julho de 2017 às 13:15

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego e disponíveis para trabalhar recuou 18,3% no mês passado, em termos homólogos. Face ao mês anterior, o recuo foi de 3,3%.

Há agora 418 mil pessoas registadas. O número volta a ser o mais baixo desde 2008, como já aconteceu, aliás, em Maio.

O recuo também se verifica nas novas inscrições, que baixaram 16,7% em termos homólogos.

A informação publicada pelo IEFP revela ainda que, apesar deste movimento, registado num período de criação (ou recuperação) do emprego, continuam a cair tanto as ofertas que chegam aos centros de emprego (-15,9%) como as colocações feitas pelo IEFP (-28,2%).

Questionado sobre o assunto, esta segunda-feira, o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita, relacionou a quebra com uma maior autonomia das empresas face ao IEFP e com o fim do programa de apoios à contratação que obrigava as empresas a registarem as ofertas.




A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 19.07.2017

Quando se diz que caiu 18% significa o seguinte:
No tempo de Passos e Portas também haviam os cursos e também "retiravam" dessa maneira desempregados registados.
O que muda é que abrindo os mesmos cursos e as mesmas "artimanhas" para fazer baixar os desempregados registados, a queda foi de 18%.

Anónimo 19.07.2017

Tanta mentira tantos cursos de formação que abriram nos centros formação
Sei o que falo pertenço aqueles que foram chamados para um curso para sair da estatística
Valor da bolsa 146 euros se não houver faltas
Mentiras mentiras

Anónimo 19.07.2017

Os Maneis, as Marias e as Gertrudes deste país começaram a perguntar pk não havia trabalho e se ia ser sempre assim. Então o líder do País respondeu-lhes:

"Emigrem, Vejam o desemprego como uma oportunidade para emigrarem" - disse ele!

Então, eles votaram à ESQUERDA e puseram-no a andar! lol

mcga 19.07.2017

Eu tambem estava desempregado, agora já não estou pq comecei um curso no inicio deste mes.
Após 18 meses de procura, foi a única maneira de ocupar o meu tempo.
Enfim, numeros são numeros ....

ver mais comentários
pub