Emprego Desemprego em Espanha regista maior subida num mês de Setembro em cinco anos

Desemprego em Espanha regista maior subida num mês de Setembro em cinco anos

O número de inscritos nos centros de emprego aumentou em 27.858, ainda que o total de desempregados se mantenha em mínimos de oito anos.
Desemprego em Espanha regista maior subida num mês de Setembro em cinco anos
Bloomberg
Negócios 03 de outubro de 2017 às 11:43

O número de pessoas inscritas nos centros de emprego em Espanha aumentou em Setembro em 27.858, de acordo com os dados divulgados esta terça-feira, 3 de Outubro, pelo Ministério do Emprego e Segurança Social. Este número reflecte uma subida de 0,8%, a mais alta num mês de Setembro desde 2012.

Apesar deste aumento, o emprego no país continua a crescer, com o número de inscritos na Segurança Social a subir em 624.141 nos últimos 12 meses para um total de 18,3 milhões.

O contrário acontece com o desemprego, que no último ano desceu em mais de 300 mil pessoas para 3.410.182, um mínimo de oito anos.  

"A sociedade espanhola, no seu conjunto, continua numa trajectória de recuperação", afirmou Tomás Burgos, secretário de Estado da Segurança Social, citado pelo El País. Na conferência de imprensa de apresentação dos dados, o responsável acrescentou que o "emprego é um elemento de coesão da unidade de Espanha".

Segundo o Expansión, desde que foi iniciada a série histórica, em 1996, o número de desempregados aumentou quase sempre em Setembro, com 19 meses de subidas e apenas três de quedas: Setembro de 2005,2006 e 2007.

 

No mês passado, o número de desempregados desceu na construção, com menos 9.667 pessoas, na agricultura, com menos 4.838, e na indústria, onde há menos 3.622 pessoas sem trabalho.

Por outro lado, aumentou nos serviços, em 29.601 pessoas, devido ao fim da época turística. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub