Zona Euro Desemprego na Alemanha desce para mínimo histórico em Dezembro

Desemprego na Alemanha desce para mínimo histórico em Dezembro

O número de desempregados diminuiu, em Dezembro, pelo sexto mês consecutivo, e mais do que o esperado pelos economistas.
Desemprego na Alemanha desce para mínimo histórico em Dezembro
Michele Tantussi
Negócios 03 de janeiro de 2018 às 10:09

A taxa de desemprego na Alemanha caiu, em Dezembro, para 5,5% - o valor mais baixo de sempre – com o número de pessoas sem trabalho a diminuir pelo sexto mês consecutivo.

De acordo com os dados revelados esta quarta-feira, 3 de Janeiro, pelo gabinete federal de estatística, o número de desempregados desceu em 29 mil no mês passado, mais do dobro do previsto pelos economistas consultados pela Bloomberg.

A descida foi de 20 mil na Alemanha ocidental e de 9 mil no lado oriental, colocando o total de desempregados em 2.442 milhões.

O chamado motor da Europa tem tido um forte desempenho económico, impulsionado não só pela evolução positiva do comércio global, como também pela procura interna. Dados divulgados ontem mostram que a actividade industrial do país e da Zona Euro marcou recordes no fecho do ano passado.

Apesar das perspectivas positivas para economia, a Alemanha, à semelhança da generalidade dos países da moeda única, continua com dificuldades em gerar um crescimento sustentado dos preços. Ainda assim, o presidente do Bundesbank – o banco central da Alemanha, Jens Weidmann, disse no mês passado estar confiante num melhor cenário a esse nível.

"Esperamos que o aumento da utilização da capacidade e os estrangulamentos regionais em alguns mercados de trabalho levem a uma pressão salarial um pouco maior", afirmou a 18 de Dezembro, citado pela Bloomberg. 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana

Claro, é preciso que as empresas de alguns países desenvolvidos desenvolvam e construam os robôs todos que são precisos.

comentários mais recentes
Na Alemanha? Há 1 semana

Pensei que essas coisas só aconteciam em Portugal. Os alemães não devem ter uma economia geringonça centena, baseada em restaurantes de rua, e tuc-tucs que são, actualmente, os nossos maiores empregadores. Eles produzem para distribuir. Aqui promete-se e distribui-se, aos amigos antes de produzir.

Anónimo Há 1 semana

Claro, é preciso que as empresas de alguns países desenvolvidos desenvolvam e construam os robôs todos que são precisos.