União Europeia Desemprego no Reino Unido cai para mínimos de 11 anos no terceiro trimestre

Desemprego no Reino Unido cai para mínimos de 11 anos no terceiro trimestre

Apesar da descida da taxa de desemprego, a economia criou apenas 49 mil postos de trabalho, metade do esperado, e muito abaixo do aumento de 172 mil nos três meses anteriores.
Desemprego no Reino Unido cai para mínimos de 11 anos no terceiro trimestre
Reuters
Rita Faria 16 de Novembro de 2016 às 10:35

A taxa de desemprego no Reino Unido caiu, no terceiro trimestre, para o nível mais baixo em onze anos, embora haja sinais de que o mercado laboral está a abrandar devido aos efeitos do Brexit.

Segundo os dados revelados pelo gabinete nacional de estatística esta quarta-feira, 16 de Novembro, a taxa de desemprego desceu de 4,9%, no segundo trimestre, para 4,8% nos três meses seguintes, o nível mais baixo desde Setembro de 2005.

No entanto, no período entre Julho e Setembro, a economia criou apenas 49 mil postos de trabalho, metade do esperado, e muito abaixo do aumento de 172 mil nos três meses anteriores.

"O desemprego está no nível mais baixo em mais de 10 anos e a taxa de emprego mantém-se num nível recorde", refere David Freeman, do gabinete nacional de estatística, num comunicado citado pela Bloomberg. No entanto, salienta o responsável, "existem sinais de que o mercado de trabalho pode estar a arrefecer com o crescimento do emprego a abrandar".

Ao mesmo tempo, os pedidos de subsídio de desemprego aumentaram em Outubro pelo terceiro mês consecutiva. A subida foi de 9.800, a maior desde Maio.

Com o aumento da inflação no pós-Brexit, os salários reais cresceram 1,7% no terceiro trimestre, o avanço mais lento desde Fevereiro de 2015.

Quase cinco meses após o referendo que deu vitória ao Brexit, ainda permanecem as dúvidas sobre a futura relação do Reino Unido com a União Europeia. 
O processo de saída, que implica dois anos de negociações depois de accionado o artigo 50 do Tratado de Lisboa, pode ainda ser atrasado pela decisão do Tribunal Superior de condicionar o Brexit ao "sim" do parlamento de Londres.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

As notícias sobre o "fim do mundo" eram manifestamente exageradas... ;)

Anónimo Há 3 semanas

Então o Brexit não ia ser uma catástrofe ??? Pena é não haver um "Prexit" (Portugal exit) . Talvez assim Portugal levantasse a cabeça...

pub
pub
pub
pub