Américas Desemprego nos Estados Unidos recua para mínimo de nove anos

Desemprego nos Estados Unidos recua para mínimo de nove anos

O número de postos de trabalho criados ficou em linha com o esperado.
Desemprego nos Estados Unidos recua para mínimo de nove anos
Nuno Carregueiro 02 de dezembro de 2016 às 13:49

A economia norte-americana criou 178 mil empregos em Novembro, em linha com as expectativas dos economistas, tendo a taxa de desemprego descido para 4,6%, o que representa o nível mais baixo em nove anos.

 

O número de postos de trabalho criados no mês passado surge depois dos 142 mil empregos adicionados em Outubro, que ficaram abaixo do inicialmente anunciado.

 

A descida de três décimas na taxa de desemprego reflecte não só o aumento do número de empregos, mas também a diminuição da força de trabalho, de acordo com os dados revelados pelo Departamento do Trabalho. Os analistas contavam que a taxa permanecesse nos 4,9%.

 

Este indicador económico confirma que a maior economia do mundo continua a recuperar de forma sustentada e que os resultados das eleições de 8 de Novembro não tiveram impacto no mercado de trabalho, já que as empresas continuaram a criar empregos ao mesmo ritmo.

 

Confirma também que a Reserva Federal tem caminho aberto para aumentar as taxas de juro além de Dezembro, mês em que subida do preço do dinheiro nos EUA já é dada como certa.

 

"Temos que olhar para a tendência e essa é muito boa", afirmou à Bloomberg Scott Brown, economista-chefe da Raymond James Financial.

 

Um indicador menos positivo relativo ao relatório hoje divulgado diz respeito aos salários, que desceram de forma inesperada (-0,1%). Por cada hora trabalhada os norte-americanos ganharam em média 25,89 dólares.

  

 

 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub