Conjuntura Desemprego português abaixo dos 9%

Desemprego português abaixo dos 9%

A taxa de desemprego portuguesa de Julho foi revista em baixa para 8,9%, o mesmo valor estimado agora pelo INE para Agosto. Significa que está em mínimos desde Novembro de 2008.
Desemprego português abaixo dos 9%
Miguel Baltazar/Negócios
Nuno Aguiar 29 de setembro de 2017 às 11:02
(Nota prévia: há alguns meses que surgem nas notícias valores diferentes para o desemprego, que podem deixar os leitores confusos. Isso explica-se porque o INE publica duas "taxas de desemprego" diferentes. Uma mensal e outra trimestral. Os dois valores têm diferenças metodológicas e, no caso do segundo, nunca são ajustados à sazonalidade.)

A taxa de desemprego portuguesa está agora abaixo dos 9%, revelam os números publicados esta manhã pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O valor de Julho foi revisto em baixa 0,2 pontos percentuais para 8,9%, com a estimativa provisória para Agosto a ser fixada no mesmo valor. O INE nota que ambos igualam a taxa observada em Novembro de 2008.

"A taxa de desemprego de Julho de 2017 situou-se em 8,9%, menos 0,2 pontos percentuais do que no mês anterior e menos 0,6 p.p. em relação a três meses antes. Aquele valor representa uma revisão de menos 0,2 pontos face à estimativa provisória divulgada há um mês e corresponde ao valor mais baixo observado desde Novembro de 2008, quando se registou igualmente uma taxa de 8,9%", pode ler-se no destaque publicado hoje, 29 Setembro. 

Isso significa que a população desempregada de de Julho está próxima das 460 mil, o que representa uma quebra de 1,9% face ao mês anterior (menos 8,9 mil pessoas). Ao mesmo tempo, a população empregada está próxima das 4.703 mil pessoas, uma subida de 0,5% (mais 22 mil). Na estimativa provisória para Agosto, a população desempregada sobe ligeiramente e a população empregada cai.

O INE justifica esta diminuição da população empregada em Agosto com uma queda em todos os segmentos, independentemente do género e do escalão etário. Do lado do desemprego, os números desse mês são penalizados pelos jovens, com mais sete mil à procura de trabalho. Entre os adultos, o desemprego cai.

Refira-se que todos estes dados são ajustados de sazonalidade. Isto é, excluem, por exemplo, o impacto positivo dos chamados "empregos de Verão". Os dados não ajustados mostram a taxa de desemprego de Julho ainda mais baixa, nos 8,5%, mas uma estimativa de agravamento em Agosto para os 8,8%.




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Bom Observador Há 2 semanas

Ó CALMA AÍ, o PSD sempre que está no poder inunda a FP e EPs de militantes e simpatizantes. No consulado de Passos Coelho, entraram para a FP cerca de 80 000 simpatizantes do PSD. No tempo do Cavaco, o PSD meteu cerca de 200 000 ...SIM !!!!....200 000 (duzentos mil) laranjinhas na FP e EPs !!!!

Calma aí 9% é para o poveco Há 2 semanas

Para a família Cesar é 0% de desemprego.
Entre boys rosa PS, como os avençados que por aqui avacalham os adversários também é 0%.
Vá Tugas sustentem estes parasitas todos, vocês são gado.
Foi por isso que o oportunista usurpou o poder, e fazendo um governo minoritáriozeco de secretaria...

TecnoCalotes Há 2 semanas

Mais dor de corno para o fracassado da pafiola!

LOLOLOLOLOL Há 2 semanas

Coisas do Diabo

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub