Mercado de Trabalho Desemprego registado aumenta ligeiramente em Agosto

Desemprego registado aumenta ligeiramente em Agosto

A tendência do mercado de trabalho tem sido de melhoria, mas Agosto trouxe uma travagem na série de seis meses consecutivos de descida do número de desempregados inscritos nos centros de emprego do IEFP, com um agravamento de 0,5%.
Desemprego registado aumenta ligeiramente em Agosto
Bruno Simão/Negócios
Nuno Aguiar 19 de setembro de 2017 às 12:44

Os dados acabados de publicar pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) apontam para um aumento de cerca de duas mil pessoas (mais 0,5%) do número de desempregados registados em Agosto. É o primeiro agravamento desde Janeiro deste ano. Existem agora 418 mil portugueses inscritos no IEFP.

 

Nos últimos cinco anos – desde que o mercado de trabalho começou a recuperar -, Agosto tem sido um mês de travagem para a trajectória de descida do desemprego registado, que depois tende a estabilizar ao longo do resto do ano ou agravar-se um pouco, à medida que os efeitos dos empregos de Verão também desaparecem.

 


Uma vez que este agravamento que agora se observa em Agosto praticamente só se fez sentir junto dos jovens e de quem procura o primeiro emprego, o Governo relaciona-o com os fluxos de transição dos estudantes para o mercado de trabalho, que costuma ocorrer nesta altura do ano. O número de inscritos com mais de 25 anos estagnou (aumento de 0,1%), enquanto abaixo dessa idade aumentou 3,3%. Entre os que procuram um novo emprego observa-se essa mesma estabilização (0,1%) e um crescimento de 3,6% entre os inscritos que pretendem encontrar o seu primeiro trabalho.

 

Apesar deste agravamento em cadeia, em comparação com o mesmo mês do ano passado, o desemprego continua a recuar, tendo caído 16% no último ano, o que equivale a menos 80 mil pessoas inscritas nos centros de emprego. Mesmo entre os jovens, existe um alívio de mais de 20%. Recorde-se que em Julho o desemprego tinha alcançado o valor mais baixo desde o final de 2008.

 

"Para a diminuição do desemprego registado, face ao mês homólogo de 2016, contribuíram todos os grupos do ficheiro de desempregados, com destaque para os homens (-43.067; -18,7%), os adultos com idades iguais ou superiores a 25 anos (-68.922; -15,6%), os inscritos há menos de um ano (-46.259; -18,1%), os que procuravam novo emprego (-71.917; -16,2%) e os que possuem como habilitação escolar o 1º ciclo do ensino básico (-17.537; -17,5%)", pode ler-se no relatório do IEFP.

 

Os dados do INE parecem também confirmar a relevância do turismo para esta recuperação do mercado de trabalho. Mesmo em termos homólogos – isto é, quando se compara Agosto de 2017 com Agosto de 2016 – a maior descida do desemprego registado vem do Algarve (queda de 29%), embora ela se verifique em todas as regiões do país.

 

Entre os sectores de actividade com maiores descida do desemprego registado, o IEFP destaca dois: a construção (menos 27%) e a produção de "outros produtos minerais não metálicos" (-27%). 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz 19.09.2017

SÓ PODE SER UMA CONSPIRAÇÃO DA DIREITA...!!!

Pierre Ghost 19.09.2017

...xuxinhas !!!! Onde andais ????
Parolo do brinquinho !!!!

pub