Mercado de Trabalho Desemprego volta a cair para 9,4%

Desemprego volta a cair para 9,4%

A taxa de desemprego continua a seguir uma trajectória descendente. Não só foi revisto em baixa o valor de Abril, como em Maio se volta a verificar uma nova queda, desta vez para 9,4%. Segundo o INE, são os valores mais baixos deste o final de 2008.
Desemprego volta a cair para 9,4%
Bruno Simão/Negócios
Nuno Aguiar 30 de junho de 2017 às 11:04
(Nota prévia: há alguns meses que surgem nas notícias valores diferentes para o desemprego, que podem deixar os leitores confusos. Isso explica-se porque o INE publica duas "taxas de desemprego" diferentes. Uma mensal e outra trimestral. Os dois valores têm diferenças metodológicas e, no caso do segundo, nunca são ajustados à sazonalidade.)

O mercado de trabalho volta a dar sinais de melhoria. Segundo os dados publicados esta manhã pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de desemprego de Abril ficou afinal em 9,5% (0,3 pontos abaixo do valor reportado inicialmente) e a estimativa para Maio é que se tenha verificado uma nova descida para 9,4%.

"A taxa de desemprego de Abril de 2017 situou-se em 9,5%, menos 0,3 pontos percentuais do que no mês anterior e menos 0,6 pontos em relação a três meses antes. Aquele valor representa uma revisão de menos 0,3 pontos face à estimativa provisória divulgada há um mês e constitui o valor mais baixo observado desde Dezembro de 2008", pode ler-se no destaque do INE. "A estimativa provisória da taxa de desemprego de Maio de 2017 foi de 9,4%."

Estes valores ajustados à sazonalidade - isto é, tentam eliminar o típico efeito positivo do Verão e negativo do Inverno - mostram que em Maio existiam 484,8 mil pessoas sem trabalho em Portugal. Cerca de menos 90 mil do que no mesmo mês do ano passado. No que diz respeito ao emprego, 4.658,9 mil portugueses tinham trabalho. Mais 135 mil do que há um ano.

"Em Maio de 2017, a estimativa provisória da população empregada foi de 4.658,9 mil pessoas, tendo diminuído 0,1% (4,6 mil) face ao mês anterior (Abril de 2017) e aumentado 0,6% (27,0 mil) em relação a três meses antes (Fevereiro de 2017)", nota o INE. 

Olhando apenas para os dados relativos aos jovens, os números suscitam maior preocupação. Observa-se uma subida da taxa de desemprego em Abril e Maio. Depois de ter caído para 22,9% em Março, ela está a subir há dois meses, com o INE a estimar agora 24,6% para Maio. Isso representa cerca de mais seis mil pessoas entre os 15 e os 24 anos à procura de trabalho. O número de jovens empregados também caiu para 273,4 mil.




pub