Mundo Dez pessoas morreram em protestos no Irão

Dez pessoas morreram em protestos no Irão

A televisão estatal iraniana disse hoje que 10 pessoas foram mortas durante os protestos no Irão e que as forças de segurança do Estado conseguiram impedir que "manifestantes armados" tomassem de assalto esquadras de polícia e bases militares, segundo a AP.
Dez pessoas morreram em protestos no Irão
O Presidente Hassan Rouhani afirmou que o povo tem direito a criticar, mas de forma legal.
reuters
Negócios com Lusa 01 de janeiro de 2018 às 12:12
O Irão tinha avisado este domingo que os manifestantes "pagarão o preço" pelos protestos, depois de uma nova noite de manifestações contra o poder no país, onde duas pessoas foram mortas e dezenas de outras foram detidas.

"Aqueles que destroem a propriedade pública, criam desordem e agem ilegalmente devem responder pelas suas ações e pagar o preço. Agiremos contra a violência", afirmou o ministro do Interior iraniano, Abdolreza Rahmani Fazli no domingo.

Os protestos tiveram início nos dias anteriores, alastrando a várias cidades iranianas, e são já considerados os maiores desde 2009. A situação económica débil do país, com elevado desemprego, é apontada como uma das causas do descontentamento.

Segundo relatam as agências internacionais, nas manifestações têm sido derrubadas e queimadas faixas com a figura do ayatollah Ali Khamenei. Desde a revolução islâmica de 1979 que não se viam protestos a exigir o fim do regime dos ayatollah, com alguns manifestantes a pedirem o regresso do Xá, que vive no exílio.

O Governo bloqueou no domingo o acesso às redes sociais por considerar que estas estavam a contribuir para o incitamento à violência.

O Presidente iraniano, Hassan Rouhani, afirmou no domingo à noite, em declarações transmitidas pela televisão, que "as pessoas têm o direito a fazer críticas", mas que não serão permitidos comportamentos ilegais. Criticar é diferente de violência e destruição de propriedade pública, disse.

Segundo as autoridades foram detidas 200 pessoas durante os protestos em Teerão. A informação sobre o resto do país, onde as manifestações foram até maiores, é escassa.



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ciifrão Há 2 semanas

A aparência cuidada que o representante de Alá tem, deve passar horas no SPA a cuidar da pele e da barba. Uns vaidosos que são estes líderes religiosos.

Nada de novo ADN do imprealismo Há 2 semanas

As primaveras a mexer para tentar destruir os Povos.

General Ciresp Há 2 semanas

Devemos estar lembrados:ha uns tempos atraz foram levantadas as sancoes ao Irao,pelo q se soube estava 1 grande quantia de dinheiro congelado.Das primeiras coisas q eles foram fazer logo a seguir ao descondelamento foi investir no armamento,deixando assim o seu povo a viver no mesmo estado(MISERIA).