Economia Diplomas publicados em Diário da República anunciados previamente

Diplomas publicados em Diário da República anunciados previamente

O Governo vai passar a anunciar antecipadamente em que dia publica em Diário da República os actos legislativos aprovados pela Assembleia da República ou em Conselho de Ministros e promulgados pelo Presidente da República.
Diplomas publicados em Diário da República anunciados previamente
Bruno Simão
Lusa 02 de Novembro de 2016 às 23:00

A medida foi anunciada esta quarta-feira e entra já em vigor, com o anúncio de que serão publicados no dia 3 de Novembro cinco decretos-lei, um dos quais que aprova o Programa Especial de Redução do Endividamento do Estado (PERES).

 

O PERES tem como objectivo permitir que os contribuintes que tenham dívidas ao Fisco ou à Segurança Social as possam saldar, aplicando-se a todos os que tenham dívidas fiscais e contributivas que não tenham sido pagas nos prazos normais.

 

Os contribuintes poderão optar por pagar toda a dívida e, neste caso, ficam isentos do pagamento de juros e coimas associadas à dívida, ou por aderir a um programa de até 150 prestações mensais, beneficiando de uma redução daqueles encargos que é tanto maior quanto mais rapidamente a dívida for saldada.

 

No mesmo dia são publicados em Diário da República mais quatro diplomas, um dos quais altera o regime do Fundo de Reestruturação do Sector Social, introduzindo alterações na composição da Comissão Permanente do Sector Social e Solidário.

 

Por outro lado, prorroga o prazo de "cedência temporária da gestão de estabelecimentos à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa", com vista a criar "condições objetivas" para a conclusão da transferência dos equipamentos para outras entidades da rede solidária.

 

É igualmente publicado um decreto-lei que regula a rotulagem dos pneus em matéria de eficiência energética, indo ao encontro de uma regulamentação do Parlamento Europeu e do Conselho Europeu.

 

Também no dia 3 de Novembro é publicado em Dário da República o decreto-lei que altera o regime de produção e utilização de biocombustíveis e biolíquidos, bem como os mecanismos de promoção de biocombustíveis nos transportes terrestres, definindo também os limites de incorporação obrigatória para entre 2011 a 2020.

 

Por último, vai ser ainda publicado o decreto-lei que estabelece um regime facultativo de reavaliação do activo fixo tangível e propriedades de investimento.

 

De acordo com a informação disponível, este regime pretende criar as condições para "promover a capitalização das empresas, libertando-as de uma excessiva dependência do financiamento bancário".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub