Américas Diplomatas russos expulsos por Washington abandonaram os Estados Unidos

Diplomatas russos expulsos por Washington abandonaram os Estados Unidos

Os diplomatas russos foram acusados na quinta-feira pelo Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de terem participado numa alegada campanha de ataques informáticos orquestradas pelo Kremlin para influenciar a eleição presidencial dos Estados Unidos.
Diplomatas russos expulsos por Washington abandonaram os Estados Unidos
.
Lusa 02 de janeiro de 2017 às 07:29
O avião com 35 diplomatas russos expulsos dos Estados Unidos devido à alegada interferência de Moscovo na eleição presidencial norte-americana deixou Washington no domingo, informaram as agências de notícias russas.

"O avião descolou, todos estavam a bordo", disse a Embaixada da Rússia em Washington, citada pela agência estatal RIA Novosti.

Familiares dos diplomatas estão também no avião, que saiu de Washington com 96 passageiros a bordo.

Os diplomatas russos foram acusados na quinta-feira pelo Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, de terem participado numa alegada campanha de ataques informáticos orquestradas pelo Kremlin para influenciar a eleição presidencial dos Estados Unidos com o objetivo de favorecer o candidato republicano, Donald Trump, que venceu as eleições.

Obama argumentou que os diplomatas eram na verdade agentes dos serviços secretos.

Os Estados Unidos têm acusado o Governo russo de estar por trás de ataques informáticos ao Partido Democrata durante a campanha para as presidenciais norte-americanas de Novembro.

O Presidente norte-americano, que será no dia 20 substituído por Donald Trump, tinha dado 72 horas aos diplomatas russos para abandonarem os Estados Unidos e também decretou o encerramento de duas instalações russas em Maryland e em Nova Iorque.

Obama anunciou ainda, na semana passada, sanções económicas à Rússia por causa da alegada tentativa de ingerência nas eleições de Novembro.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Caro OOSEVEN Há 2 semanas

Concordo, mas o Trump parece-me ainda mais perigoso. Vamos ver, quando temos um vaidoso ignorante há problemas a caminho.

00SEVEN Há 2 semanas

Infelizmente, para mal do planeta, este homem sentou-se na cadeira mais poderosa do mundo por vontade popular!
Esta cortina de fumo lançada por ele não é mais do que já nos habitou.
Basta voltarmos ao dia 19 de Agosto de 2014 quando James Foley, jornalista americano, foi degolado no deserto Iraquiano pelo estado islâmico e ele afirmou na conferencia de imprensa que não tinha muito tempo porque tinha que ir jogar golfe!
Qualquer presidente seu antecessor acabaria com a estória do estado islâmico a partir desse momento!

pub
pub
pub
pub