Economia Directora-geral do FMI: Crescimento mundial será “mais forte e melhor repartido” em 2018

Directora-geral do FMI: Crescimento mundial será “mais forte e melhor repartido” em 2018

Christine Lagarde acredita que a recuperação da economia mundial será "mais forte e melhor repartida" no próximo ano.
Directora-geral do FMI: Crescimento mundial será “mais forte e melhor repartido” em 2018
Christine Lagarde, directora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI).
Reuters
Lusa 31 de dezembro de 2017 às 17:28

"Em 2017, pela primeira vez em muito tempo, revimos as previsões de crescimento mundial. A recuperação será mais forte e melhor repartida", considerou Christine Lagarde, directora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI),salientando que este comportamento positivo não envolve apenas os países emergentes.

 

O FMI definiu que a taxa de crescimento mundial para 2018 será de 3,6%, o que para Lagarde significa um regresso "aos níveis médios das últimas décadas", interrompidos pela crise financeira de 2007 e 2008.

 

Em entrevista ao "Le Journal du Dimanche", este domingo, 31 de Dezembro, a directora da instituição considerou ainda que a zona euro está "fortemente consolidada" e que a moeda "está bem", sublinhando que a união monetária é "uma criação magistral, que constitui uma alternativa à China e aos Estados Unidos".

 

No que concerne aos Estados Unidos, Lagarde apontou que o potencial de crescimento atingiu os 2%, valor que só pode ser superado com um aumento da produtividade, algo "difícil" num ambiente marcado pelas novas tecnologias.

 

Ao mesmo tempo, a representante do FMI referiu que África "tanto pode ser o continente do futuro, como um continente dramático", o que dependerá do controlo da demografia e das políticas de desenvolvimento.

 

"O desenvolvimento económico face ao crescimento populacional é uma corrida contra o tempo, que será perdida se a demografia não for controlada, o que passa, em primeiro lugar, pela educação das mulheres e pela consciência geral desses países", concluiu.




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

"We will gradually enter a time where having a lifetime employment based on tasks that are not justified will be less and less sustainable - we're actually already there." - Emmanuel Macron www.msn.com/en-gb/video/other/french-civil-servants-no-more-jobs-for-life/vi-AAeGlDD

comentários mais recentes
pertinaz Há 2 semanas

SIM, DE ACORDO COM A ESCUMALHA QUE NOS DESGOVERNA PORTUGAL SERÁ O MOTOR DO CRESCIMENTO MUNDIAL...!!!

General Ciresp Há 2 semanas

Nem mais.O rico cada vez mais rico,e dinheiro que cai do ceu.

Anónimo Há 2 semanas

"We will gradually enter a time where having a lifetime employment based on tasks that are not justified will be less and less sustainable - we're actually already there." - Emmanuel Macron www.msn.com/en-gb/video/other/french-civil-servants-no-more-jobs-for-life/vi-AAeGlDD

Anónimo Há 2 semanas

"We have to find new ways of employing people and maybe people need to find new ways of spending their time... The truthful answer is we won’t need as many people." - John Cryan www.businessinsider.com/deutsche-bank-ceo-cryan-robots-and-banking-jobs-2017-9

ver mais comentários
pub