Economia Dívida global atinge recorde de 233 biliões de dólares

Dívida global atinge recorde de 233 biliões de dólares

Em termos absolutos, a dívida global atingiu máximos no terceiro trimestre do ano passado. No entanto, o rácio da dívida/PIB caiu pelo quarto trimestre consecutivo.
Dívida global atinge recorde de 233 biliões de dólares
Bruno Simão
Negócios com Bloomberg 05 de janeiro de 2018 às 12:11

O ano de 2017 ficou marcado por uma recuperação da economia mundial, mas também pelo crescimento da dívida. Uma análise do Instituto de Finanças Internacionais (IFF), citada pela Bloomberg esta sexta-feira, 5 de Janeiro, mostra que a dívida global atingiu um valor recorde no terceiro trimestre do ano passado.

 

Segundo os dados do IFF, a dívida global fixou-se em 233 biliões de dólares (cerca de 193,4 biliões de euros) no período entre Julho e Setembro de 2017, mais 16 biliões de dólares do que no final de 2016.

 

A dívida do sector privado não-financeiro atingiu máximos históricos no Canadá, França, Hong Kong, Coreia do Sul, Suíça e Turquia.

 

Contudo, como o crescimento económico também acelerou, o rácio que mede a dívida em relação ao PIB desceu pelo quarto trimestre consecutivo. O rácio dívida/PIB está agora em torno de 318%, 3 pontos percentuais abaixo do máximo fixado no terceiro trimestre de 2016.

 

"Uma combinação de factores, incluindo o crescimento global sincronizado acima do potencial, o aumento da inflação (China, Turquia) e os esforços para evitar uma acumulação desestabilizadora da dívida (China, Canadá) contribuíram para o declínio", referiram os analistas da IIF, citados pela agência noticiosa.

 

Os especialistas acrescentam ainda que a dívida poderá actuar como um travão nas intenções dos bancos centrais de subir os juros, tendo em conta as dificuldades que poderão enfrentar empresas e governos altamente endividados.




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Segundo os neo liberais destros de Portugal, o Mundo deve ser praticamente só países de Esquerda, uma vez que a dívida total tá a aumentar!!

Segundo eles a Esquerda é que se endivida e a Direita só faz coisas boas..

Ora, pelos vistos...o Mundo conta uma história diferente dos fascistas!!

Anónimo Há 1 semana

Vivemos num tempo de druidas financeiros, ora aumenta a dívida, ora cresce o PIB e enquanto isto acontece, aparentemente baixa a dívida VERSUS/PIB e assim se vão manipulando os bem intencionados.
Uma coisa é certa, dívida é para zerar, e se o PIB crescer, aí sim, estamos no bom caminho.

Anónimo Há 1 semana

Ta tudo rico menos eu...

Vai ser o 2º SOCRETINO ! Há 1 semana

O Costa vai ser o 2º maior Socretino, daqui a nada o mercado financeiro espirra e lá voltamos ao mesmo . . . como sempre quem se lixa é o mexilhão.

ver mais comentários