Finanças Públicas Dívida pública desce em Setembro para 130,9% do PIB

Dívida pública desce em Setembro para 130,9% do PIB

Já se sabia que em termos nominais a dívida pública registou a maior queda do ano em Setembro. Hoje sabe-se que a dívida também diminuiu em percentagem do PIB.
Dívida pública desce em Setembro para 130,9% do PIB
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Antunes 22 de novembro de 2017 às 12:00

A dívida pública, na óptica de Maastricht, desceu em Setembro para 130,9% do produto interno bruto (PIB), revelam os dados divulgados esta quarta-feira, 22 de Novembro, pelo Banco de Portugal. A queda foi pronunciada, já que em Junho a dívida estava nos 132,1% do PIB.

A contribuir para esta evolução estiveram dois factores. A redução efectiva da dívida em termos nominais e o crescimento da economia.

 

A dívida pública situou-se em 249,1 mil milhões de euros no mês de Setembro, o que representa uma queda de 1.247 milhões de euros face a Agosto. A redução da dívida no mês em análise foi mesmo a mais pronunciada desde Novembro do ano passado. A contribuir para esta evolução esteve o reembolso de dívida feito no terceiro trimestre do ano.

 

Por outro lado, a economia cresceu, o que acaba por ajudar na evolução do peso da dívida face ao PIB. Os últimos dados revelam que a economia nacional cresceu 2,5% no terceiro trimestre do ano, o que representa um abrandamento do ritmo de crescimento que estava a ser registado este ano (2,8% no primeiro trimestre e 3% no segundo). Ainda assim, o ritmo continua a ser forte face ao histórico da evolução da economia nacional.

 

Os dados que existem apontam para que a dívida nacional continue a diminuir. Muito devido aos reembolsos antecipados ao Fundo Monetário Internacional. Em Outubro, o Governo reembolsou o fundo em mil milhões de euros e este mês já anunciou a amortização de mais 2,78 mil milhões de euros. Após estes reembolsos, Portugal já devolveu mais de 75% do empréstimo feito pelo FMI no âmbito do resgate financeiro concedido em 2011.




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas

No final de 2015 era de 128,8% do PIB, ou seja, o governo atual em dois anos piorou em mais de 2% o rácio da divida apesar de ter uma conjuntura altamente favorável como há muitos anos não havia. Para não falar na evolução da divida em valores absolutos que aumentou em dois anos 18 mil milhões de euros (no final de 2015 era de 231 milhões de euros. LIMPEM AS MÃOS À PAREDE CAMELOS!!!!!!!!!!!!!!

comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 2 semanas

MALABARISTAS !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Sempre a colar a divida ao PIB ?!?!?! Porque será?

SEBENTOS HIPOCRITAS!

Toy Boy Há 3 semanas

Força Portugal!!!

pertinaz Há 3 semanas

MUITO BOM... JÁ PODEM REBENTAR COM O RESTO...

Anónimo Há 3 semanas

Dívidas e Bancarrotas é a especialidade dos mafiosos do largo do rato.

ver mais comentários
pub