Política Donald Trump substituirá veto migratório por novas restrições

Donald Trump substituirá veto migratório por novas restrições

O Presidente norte-americano, Donald Trump, vai substituir o veto migratório aos refugiados e imigrantes de seis países muçulmanos por mais restrições, que deverão afectar um maior número de nações, noticiou o The Wall Street Journal.
Donald Trump substituirá veto migratório por novas restrições
Reuters
Lusa 22 de setembro de 2017 às 20:10

Citando fontes ligadas ao processo, o jornal afirma que a Casa Branca se prepara para anunciar novas restrições à entrada de cidadãos no país, consoante o Estado de maioria muçulmana, isto porque o prazo do veto migratório criado por Donald Trump termina no próximo domingo.

 

"A administração de Trump garantirá que só admitiremos aqueles que possam ser investigados de forma apropriada e não sejam uma ameaça à segurança nacional ou à segurança pública", afirmou um porta-voz da presidência, citado pelo jornal.

 

O polémico veto migratório de Donald Trump entrou em vigor em Junho passado e impede, durante 120 dias, a entrada nos Estados Unidos de refugiados e, durante 90 dias, de outros cidadãos de seis países muçulmanos (Irão, Somália, Sudão, Síria, Iémen e Líbia).

 

Segundo o jornal norte-americano, o Departamento de Segurança Nacional elaborou uma lista de 17 países que deverão ser afectados pelas novas medidas.

 

Em Outubro, o Supremo Tribunal dos Estados Unidos irá realizar uma audiência para decidir sobre a constitucionalidade da medida. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub