Justiça Dono da JBS e delator da Lava Jato detido por uso de informação privilegiada

Dono da JBS e delator da Lava Jato detido por uso de informação privilegiada

Ao ter revelado a sua denúncia e colaboração com as autoridades no caso Lava Jato, Wesley Batista poderá ter daí retirado partido para os seus negócios. Foi detido esta quarta-feira em São Paulo, no Brasil.
Dono da JBS e delator da Lava Jato detido por uso de informação privilegiada
Reuters
Negócios 13 de setembro de 2017 às 13:38

A Polícia Federal brasileira deteve esta quarta-feira, 13 de Setembro, o empresário Wesley Batista, dono da empresa de processamento de carnes JBS, em São Paulo.

O irmão Joesley Batista, que já tinha sido detido no domingo por decisão do Supremo Tribunal Federal, foi também alvo do mandado de prisão, avançou a revista Veja.


Em causa está a operação Tendão de Aquiles, onde a Polícia Federal brasileira investiga se os donos da JBS tiraram partido de informação privilegiada nos seus negócios.


Wesley Batista foi delator da operação Lava Jato, relativa a um esquema de corrupção que já envolveu mais de 1.800 políticos, ao revelar mais dados para o caso em Abril e Maio deste ano.


As autoridades estão agora a tentar perceber se os irmãos Batista tiraram partido do conhecimento do potencial explosivo do acordo de delação para, com uma melhor receptividade do mercado entre 24 de Abril e 17 de Maio, negociarem acções do grupo bem como contratos futuros de dólares.

Em investigação está a suspeita de que, dessa forma, essas operações geraram vantagens indevidas no mercado de capitais num contexto em que quase todos os investidores tiveram prejuízos financeiros, acrescenta O Globo.

Estão também a ser investigados no âmbito da Operação Aquiles o director jurídico e a advogada da JBS assim como o procurador da República Marcelo Miller, com quem foi feito o acordo de denúncia.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub