Política Monetária Draghi vê "muito poucas hipóteses" de uma subida dos juros este ano

Draghi vê "muito poucas hipóteses" de uma subida dos juros este ano

O presidente do BCE disse hoje que, considerando os dados existentes, será pouco provável que se assista a uma subida dos juros em 2018.
Draghi vê "muito poucas hipóteses" de uma subida dos juros este ano
Lusa
Nuno Aguiar 25 de janeiro de 2018 às 15:02

Mario Draghi sublinhou hoje que o Banco Central Europeu (BCE) não deverá aumentar as taxas de juro em 2018. A garantia foi dada na conferência de imprensa desta tarde, no seguimento da sua decisão para manter intacta a sua política monetária, com os juros a permanecerem em 0%.

 

Em resposta às perguntas dos jornalistas, o presidente do BCE disse que, "com base nos dados existentes actualmente, vejo muito poucas hipóteses de as taxas de juro serem aumentadas de alguma forma este ano".

 

Os mercados foram reagindo às palavras de Draghi, com o euro a valorizar inicialmente face ao dólar, começando depois a abrandar, após a garantia do banqueiro central de não subir os juros em 2018.

 

No comunicado inicial, o BCE já tinha deixado claro que espera manter os juros nos actuais níveis "bem para lá do horizonte do programa de compra de activos". "Ainda não podemos cantar vitória", acrescentaria Draghi na conferência de imprensa. A economia está a acelerar, mas os preços e os salários ainda não parecem estar a reagir.

 

Recorde-se que o compromisso do BCE é atingir um nível de inflação na Zona Euro próximo, mas abaixo dos 2%.

 

Nos últimos dias, especulou-se que o BCE estaria preparado para começar a assinalar uma viragem para uma política monetária menos expansionista e a retirada dos estímulos, tendo em conta o conteúdo da reunião de Dezembro. Contudo, Draghi disse que essa interpretação deixou até surpreendidos alguns dos membros do conselho de governadores.

 

No que diz respeito às decisões de política monetária, o BCE anunciou que manteria a taxa de juro de referência em 0%, optando por também não mexer nas outras taxas. No que diz respeito ao programa de compra de activos, o objectivo é fazer compras mensais de 30 mil milhões de euros até ao final de Setembro de 2018.




pub