Economia “É por demais evidente” que é preciso desbloquear as carreiras da função pública

“É por demais evidente” que é preciso desbloquear as carreiras da função pública

Em entrevista ao Jornal de Negócios e à Antena 1, o Provedor de Justiça afirmou que é da mais elementar justiça desbloquear as carreiras dos funcionários públicos. Não pretende intervir porque, acredita, tal não será necessário.
A carregar o vídeo ...

"É profundamente frustrante" que qualquer pessoa que apostou numa carreira, não veja a possibilidade de subir, afirma José de Faria Costa.

O Provedor de Justiça, ele próprio professor universitário, em Coimbra, cita exemplos vários, de colegas, que viram a sua carreira estagnada devido aos congelamentos das progressões impostos pela troika.

 

Com o Governo a iniciar o movimento inverso, o Provedor considera que não actualmente necessidade de uma intervenção da sua parte. É da mais elementar justiça, sustenta, e "como princípio geral acredito que não haja ninguém de boa fé que possa dizer o contrário daquilo que eu estou a salientar", remata.

José de Faria Costa, provedor de Justiça, é o entrevistado desta semana do programa Conversa Capital, que será transmitido este domingo na Antena 1 e publicado no Jornal de Negócios na segunda-feira.




A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Money Maker Há 6 horas

Pois é... e os privados? Estes FP se fazem greve nada lhes acontece, vejam os professores nas datas de exame e dezenas de outros exemplos. Os privados se fazem greve vão logo para a rua, nem carreira nem emprego.

comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

Viva a mediocridade!

pertinaz Há 4 semanas

PORQUÊ...???

Ze nabo ao anónimo Há 4 semanas

Pois, já todos percebemos que és um frustrado...deita tudo cá para fora e vais ver que te sentes melhor.....lol

Anónimo Há 2 horas

É profundamente frustrante que quem apostou numa carreira veja tudo pelo cano abaixo porque a sua empresa teve de despedir mais de 75% dos trabalhadores. Ficar sem emprego e oportunidades, casa para pagar, filhos para alimentar..E pior sem ter direito a reclamar, apenas a pagar a CGA, os 25 dias de férias, o excendentarismo, os complementos de reforma, as rescisões dos outros para colocar lá os seus BOYS, etc, e mais etc.
Este paspalho é provedor da justiça dele mesmo e da classe que o nomeia também eles FP.
Onde estava os provedores da justiça quando o país possui 2 velocidades, 2 regimes laborais , etc e mais etc..
Esta gente não tem mesmo vergonha no focinho..

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub