Política Monetária Economia britânica pode crescer mais de 3% em 2014 mas Banco de Inglaterra mantém discurso cauteloso

Economia britânica pode crescer mais de 3% em 2014 mas Banco de Inglaterra mantém discurso cauteloso

O Banco de Inglaterra espera que a economia britânica cresça 3,4% em 2014. Ainda assim alerta que esta recuperação "não é equilibrada, nem sustentável" e promete manter a taxa de juro no mínimo histórico de 0,5% durante mais um ano.
Economia britânica pode crescer mais de 3% em 2014 mas Banco de Inglaterra mantém discurso cauteloso
Bloomberg
Ana Luísa Marques 12 de fevereiro de 2014 às 12:33

O Banco de Inglaterra espera que a economia britânica cresça 3,4% em 2014. Ainda assim alerta que esta recuperação "não é equilibrada, nem sustentável" e promete manter a taxa de juro no mínimo histórico de 0,5% durante mais um ano. 

 

"A actividade [económica] continua abaixo dos níveis registados no período pre-crise e a taxa de poupança das famílias deverá continuar a cair", afirmou o Governo do Banco de Inglaterra, Mark Carney, durante a apresentação do Quarterly Inflation Report esta quarta-feira, 12 de Fevereiro, em Londres. 

 

Apesar das previsões da instituição apontarem para um "forte crescimento" económico em 2014 (3,4%), o banco central "não quer correr riscos" e promete manter a taxa de juro no mínimo

Não seremos complacentes com esta recuperação [económica]. Estamos serenos mas não complacentes.  
 
Mark Carney
Governador do Banco de Inglaterra

histórico de 0,5% durante mais um ano. "A ausência de pressões inflaccionistas, a existência de capacidade produtiva que não está a ser aproveitada e as ameaças que existem, tanto interna como externamente, levam o banco a manter a taxa de juro baixa por mais um tempo".   

 

Carney acrescentou, ainda, que qualquer alteração na taxa de juro de referência ocorrerá "gradualmente" e até um patamar de 2% a 3% (ou seja, muito abaixo do valor alcançado antes da crise, em 2007, de 5,75%). Desde final de 2007 até ao início de 2009, o Banco de Inglaterra, ao comando de Mervyn King, baixou a taxa de juro nove vezes até aos 0,5%.

 

"Após um longo período de taxas excepcionalmente baixas, subir as taxas de juro de forma gradual protege-nos do risco de estas subidas terem um forte impacto no produto e no consumo", explicou o canadiano Mark Carney, que assumiu o leme do Banco de Inglaterra em Julho de 2013, citado pelo jornal britânico "The Guardian". 

 

A 7 de Agosto desse ano, Mark Carney decidiu adoptar uma estratégia semelhante à seguida pela Reserva Federal dos Estados Unidos e ligar, pela primeira vez, a política monetária à taxa de desemprego do país (na altura nos 7,8%). 

 

Esta quarta-feira, o Governador do Banco de Inglaterra decidiu alterar esta estratégia - conhecida por "forward guidance" - indexando a política monetária a outros indicadores económicos, além da taxa de desemprego:

 

1. pela primeira vez, o banco central não irá aumentar a taxa de juro até que a capacidade produtiva da economia britânica esteja totalmente aproveitada (o que não deverá acontecer antes de 2015);

 

2. além da taxa de desemprego, o banco central terá em conta outros indicadores como relatórios de empresas e o número de horas trabalhadas

 

3. a taxa de juro irá subir de forma gradual e o programa de estímulos será mantido por mais algum tempo

 

4. o banco irá publicar novas previsões;

 

5. o programa de activos (375 mil milhões de libras) será mantido, pelo menos, até à primeira subida da taxa de juro de referência, que não deverá ocorrer dentro do próximo ano.

 

(Notícia actualizada às 13h58)




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Elvira 12.02.2014

Grande Cameron ! Sem demagogia, sem promessas eleitorais, sem socialismo !!! Em resumo, SEM BANCARROTAS !!!

comentários mais recentes
quico_jneg 13.02.2014

claro o crescimento deve-se a city de londre e os seus negocios com o resto do mundo. na realidade não se traduz no aumento das capacidades do pais e da sua polulação. Não vai trazer emprego.

beachboy 12.02.2014

...a Inglaterra vai crescer 3,4 % em 2014?!...mas como?!,,,o país já não produz NADA para além de dívidas?...tenham juízo!...cortinas de fumo, para esconder a desgraça que por lá vai!...

Elvira 12.02.2014

Grande Cameron ! Sem demagogia, sem promessas eleitorais, sem socialismo !!! Em resumo, SEM BANCARROTAS !!!

Imigrado 12.02.2014

Where are the jobs ??? Where are the better paid jobs with all this growth ???

pub