Ásia Economia do Japão perde força no final do ano

Economia do Japão perde força no final do ano

Dados do último trimestre saíram abaixo das expectativas e do valor registado nos três meses anteriores. A economia nipónica encerrou o ano a crescer 1%.
Economia do Japão perde força no final do ano
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 13 de fevereiro de 2017 às 08:20

A economia japonesa fechou o último trimestre de 2016 a crescer menos do que o esperado apesar da dinâmica no comércio internacional e a reflectir um menor contributo por parte do incremento da procura interna.


Em cadeia, a economia cresceu – ajustada de efeitos de sazonalidade – 0,2% entre Outubro e Dezembro, abaixo dos 0,3% antecipados pelos analistas sondados pela Reuters.

Os dados conhecidos esta segunda-feira, 13 de Fevereiro, revelam que em termos anuais o PIB avançou 1% no último trimestre, abaixo dos 1,3% verificados nos três meses precedentes, e levando o ritmo de crescimento em todo o ano para os 1%.

De acordo com o Financial Times, a economia nipónica parece não ter conseguido tirar partido da depreciação da moeda local (o iene) face ao dólar, perante a robustez demonstrada pela moeda norte-americana desde a eleição de Donald Trump para a Casa Branca.


No último trimestre o iene perdeu 15,4% do seu valor, mas o efeito nas exportações foi modesto, com esta componente a contribuir com 0,2 pontos percentuais para o crescimento do PIB.

O índice Nikkei, na praça de Tóquio, encerrou esta terça-feira a valorizar 0,41% para 19.459,15 pontos, enquanto o iene cede 0,36% em relação à moeda norte-americana, valendo 0,0088 dólares. 


(Notícia actualizada às 8:45 com mais informação)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub