União Europeia Economia do Reino Unido cresceu menos do que o esperado no primeiro trimestre

Economia do Reino Unido cresceu menos do que o esperado no primeiro trimestre

O instituto de estatísticas de Londres reviu em baixa o crescimento do PIB nos primeiros três meses deste ano de 0,3% para 0,2%.
Economia do Reino Unido cresceu menos do que o esperado no primeiro trimestre
Bloomberg
Rita Faria 25 de maio de 2017 às 10:33

A economia do Reino Unido cresceu menos do que o esperado nos primeiros três meses do ano. O instituto de estatísticas de Londres reviu em baixa a subida do PIB no primeiro trimestre de 0,3% para 0,2%, o que compara com o crescimento de 0,7% registado no final do ano passado.

Tanto a evolução da actividade industrial como a dos serviços, que representam uma grande fatia da economia, foram revistas em baixa, em relação às primeiras estimativas.

O relatório do instituto de estatísticas mostra também que as exportações do Reino Unido desceram 1,6%, ao mesmo tempo que os gastos dos consumidores diminuíram.

Este abrandamento poderá ser o primeiro sinal de que o Brexit está a afectar a economia, com a aceleração da inflação, conjugada com uma estagnação dos salários reais, a colocar um fardo adicional sobre as famílias. Segundo a Bloomberg, os economistas não esperam uma melhoria do ritmo de crescimento durante o ano de 2017.

"No curto prazo, um recuo acentuado parece pouco provável, mas o crescimento deverá continuar tépido", afirma Dan Hanson, economista da Bloomberg Intelligence.

O governador do Banco de Inglaterra Mark Carney já indicou que, mesmo com a subida esperada da inflação, não tem pressa em aumentar os juros do actual mínimo histórico, na medida em que os salários permanecem estagnados e há poucos sinais de pressões inflacionárias geradas internamente.

Os eleitores britânicos vão ser chamados às urnas a 8 de Junho, poucos dias antes da data apontada para o início das negociações entre a Comissão Europeia e o governo do Reino Unido sobre o Brexit – 19 de Junho. O calendário foi avançado pelo chefe da equipa de negociações da UE, Michel Barnier, no início desta semana. 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
J. oliveira 25.05.2017

existe gente que nem merece que seja tratada como tal; são autenticos lambe botas "pafistas" e estupidos não sabem o que defendem, simplesmente "bota abaixo. "È extradionario"

Anónimo 25.05.2017

Deve ter sido do clima..

Conselheiro de Trump 25.05.2017

Se lhe juntar o consumo interno,secalhar foi quatro vezes maior q o da gerigonca.Parte das vezes tem a ver como se joga com os dados.portugal tem dois malabaristas,1 com os algarismos(o presidente do euroBURO mimico aritmetico)o outro com letras(selfie refogado).Os ingleses ainda nos vao surpreender

pub