Américas Economia dos EUA cresce mais que o previsto no terceiro trimestre

Economia dos EUA cresce mais que o previsto no terceiro trimestre

A primeira leitura sobre o desempenho do PIB da maior economia do mundo saiu melhor do que o esperado, crescendo 2,9% em termos anualizados em relação aos 2,6% previstos pelos analistas sondados pela Bloomberg.
Economia dos EUA cresce mais que o previsto no terceiro trimestre
Paulo Zacarias Gomes 28 de outubro de 2016 às 13:49
A economia norte-americana terá crescido no terceiro trimestre a um ritmo mais do que duas vezes superior ao do trimestre anterior, superando as previsões dos analistas.

Na estimativa avançada divulgada esta sexta-feira, 28 de Outubro, sobre o desempenho do PIB da maior economia do mundo, o Departamento do Comércio estima que o produto interno bruto (PIB) tenha crescido 2,9% em termos anualizados, face aos 1,4% verificados entre Abril e Junho. Os analistas sondados pela Bloomberg apontavam para um avanço de 2,6%.

Os dados da economia norte-americana são divulgados cinco dias antes da antepenúltima reunião do ano da Reserva Federal e confirmam a leitura feita pela instituição liderada por Janet Yellen de um progresso lento mas consistente, que pode vir a suportar um novo aumento das taxas de juro aprazado para a reunião de Dezembro.

A sustentar a performance dos EUA esteve um aumento nas exportações que conseguiu sobrepor-se ao abrandamento verificado nos gastos de consumo do país (representativos de 70% do PIB), que somou 2,1%, abaixo do esperado e a um ritmo mais lento que no trimestre precedente.

Do lado das vendas ao exterior - que tiveram o maior contributo para o PIB desde o último trimestre de 2013, de 0,83 pontos percentuais do produto -, destaca-se um aumento súbito, e que o Departamento do Comércio refere ser extraordinário, da exportação de grãos de soja.

"A economia continua a avançar. (...) A procura interna é resistente, embora não esteja a ser espectacular," disse à Bloomberg Ryan Sweet, economista sénior da Moody's. 

O investimento empresarial aumentou 1,2%, apesar da queda de 2,7% em termos homólogos nos gastos em equipamento, o quarto trimestre consecutivo de contracção para esta componente. Também em queda estão os gastos com construção de casas (menos 6,2%), enquanto o investimento público registou um incremento de 0,5%.

Além da proximidade à reunião da Reserva Federal, as estimativas de crescimento do produto - que serão confirmadas numa segunda leitura prevista para 29 de Novembro -  surgem também a pouco mais de uma semana das eleições nos EUA.

(Notícia actualizada às 14:19)



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 28.10.2016


PS ROUBA OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

A FP está a roubar os salários dos trabalhadores do privado...

que pagam impostos cada vez mais altos para sustentar os elevados salários, e as absurdas pensões da FP.

comentários mais recentes
Anónimo 28.10.2016

Sim, claro. E a seguir às eleições lá vêm dizer que afinal não foi bem assim. Sempre aconteceu, com todos os governos americanos.

TecnoCalotes 28.10.2016

Ai está!
Ao contrário da Europa que se afunda na estagnação e desagregação, por via do fanatismo austeritário e autoritário germânico e dos seus colaboradores pafiosos, os EUA aplicam a receita contrária e prosperam.

Mituxa Mizé 28.10.2016

Muito gostam eles de gozar com o mundo inteiro. Especulam contra os outros países todos e saem sempre a ganhar.

Anónimo 28.10.2016


PS ROUBA OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

A FP está a roubar os salários dos trabalhadores do privado...

que pagam impostos cada vez mais altos para sustentar os elevados salários, e as absurdas pensões da FP.

pub
pub
pub
pub