Conjuntura Economia italiana não acelera e regista pior desempenho a seguir à Grécia

Economia italiana não acelera e regista pior desempenho a seguir à Grécia

O PIB transalpino cresceu 0,2% no primeiro trimestre, a mesma variação já verificada nos últimos três meses do ano passado. Exceptuando o produto da Grécia, que diminuiu no primeiro trimestre, o desempenho da economia italiana foi o pior da Zona Euro.
Economia italiana não acelera e regista pior desempenho a seguir à Grécia
Reuters
Negócios 16 de maio de 2017 às 13:03

Os dados revelados esta terça-feira, 16 de Maio, pelo instituto italiano de estatísticas (Istat) mostram que no primeiro trimestre a economia transalpina avançou 0,2% face ao trimestre anterior, precisamente a mesma variação trimestral que já havia sido registada nos últimos três meses do ano passado.

 

Esta variação acompanhou as estimativas dos analistas e superou a perspectiva antecipada pelos economistas do banco Intesa Sanpaolo que esperavam um crescimento de 0,1%.

 

O Istat explica o desempenho da economia italiana com uma variação conjuntural em que se verificou uma quebra do sector industrial acompanhada pela melhoria dos sectores da agricultura e serviços. Por outro lado, houve um contributo positivo da procura interna e uma redução da procura externa.

 

Comparativamente com as restantes economias que integram a Zona Euro, confirma-se a situação de debilidade da economia transalpina, que registou o pior desempenho trimestral entre as suas congéneres do euro. Pior só mesmo a Grécia, cujo PIB recuou 0,1% no primeiro trimestre.

 

Em paralelo à não aceleração da economia, a dívida pública italiana continua a crescer, continuando a ser a segunda mais alta face ao PIB do bloco do euro, logo a seguir à Grécia. O Banco de Itália revelou esta segunda-feira que a dívida transalpina voltou a crescer em Março. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub