Conjuntura Economia volta a estabilizar em Setembro

Economia volta a estabilizar em Setembro

A actividade económica terá voltado a estabilizar em Setembro, acumulando mais um mês em que o indicador calculado pelo INE não acelera.
Economia volta a estabilizar em Setembro
Paulo Duarte
Marta Moitinho Oliveira 20 de novembro de 2017 às 11:18
A economia terá voltado a estabilizar em Setembro, revelam dados publicados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que mostram que o indicador de actividade económica calculado pelo instituto estatístico deixou de acelerar em Junho deste ano. 

"O indicador de actividade económica voltou a estabilizar em Setembro, pelo quarto mês consecutivo, interrompendo a trajectória ascendente iniciada em Agosto de 2016", adianta o INE na Síntese Económica de Conjuntura publicada esta segunda-feira.

O indicador de actividade aumentou 3,1% em Setembro face ao período homólogo, repetindo assim a mesma marca registada desde Maio. O mês seguinte – Junho – foi o primeiro mês de estabilização, tendência que se tem repetido.

A tendência de desaceleração na segunda metade do ano já era antecipada por alguns especialistas, depois de um primeiro semestre forte. Para o conjunto do ano, o Governo aponta para um crescimento do PIB de 2,6%.

A tendência desenhada pelo indicador de actividade económica calculado pelo INE vai ao encontro da evolução da taxa de variação homóloga avançada pelo instituto, com a publicação da estimativa rápida, que indica uma subida do PIB de 2,8% no primeiro trimestre, 3% no segundo e 2,5% no terceiro trimestre.

Na análise publicada esta segunda-feira, o INE adianta que, "em termos homólogos, a informação proveniente dos Indicadores de Curto Prazo (ICP) indica um abrandamento da actividade económica até Setembro, observando-se uma desaceleração do índice de volume de negócios dos serviços e do índice de produção da indústria enquanto o índice de produção da construção e o índice de volume de negócios da indústria estabilizaram".

As vendas nos serviços baixaram de uma taxa de crescimento de 6,2% para 5,6% e o índice de produção industrial passou de uma taxa de variação de 7,2% para 6,9%, em ambos os casos entre Agosto e Setembro. 

Já o índice de produção na construção e o volume de negócios na indústria mantiveram as taxas de variação em 2,3% e 7,3%, respectivamente. 

(Notícia actualizada às 11:35 com mais informação)



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 3 semanas

Diz o ditado e nao engana:compra-me 1 porco q eu compro-te 1 pata.A gerigonca atravez do ine diz q exporta muito mas e superado larga/ pelas importacoes,qual e o ganho afinal.DIVIDA a impolar por 2 lados como frisei tempos idos:peditorio e consumo.Nao hajam ilusoes canhotada e amiga de qem nos vende

pertinaz Há 3 semanas

A ESCUMALHA RESOLVE ISTO FACILMENTE...

BASTA DAR ORDENS AO INE... PENSAM ELES...!

Saber mais e Alertas
pub